Vigias apresentam projeto para melhorar segurança em bancos

Entre as propostas, está um sistema de monitoramento mais complexo no autoatendimento das agências

Curitiba – A instalação de sistema de monitoramento de gravação de imagens em tempo real na entrada do autoatendimento das agências bancárias, com vidros espelhados, câmaras externas e biombos próximos aos caixas está entre as sugestões de um projeto apresentado hoje (8) pelos sindicatos dos Vigilantes em todas as câmaras municipais do país.

O objetivo é modificar algumas leis para garantir a segurança dos clientes e funcionários das agências e diminuir os roubos nas saídas de bancos, crime conhecido como “saidinha de banco”.

Segundo o Sindicato dos Vigilantes e o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, este ano já ocorreram 20 mortes em assaltos a estabelecimentos financeiros no país, oito delas em saidinhas de banco. Em Curitiba, são registrados de dez a 12 assaltos por dia na saída dos bancos .

“As pessoas estão sendo assaltadas nas salas de autoatendimento. Os ladrões entram armados nessas salas e o monitoramento evitará que isso ocorra. Em Curitiba, algumas agências têm os biombos e é proibido o uso de celulares , mas a lei não vem sendo cumprida em sua totalidade”, argumentou o presidente da Federação dos Vigilantes do Paraná, João Soares. A expectativa, segundo ele, é que essas propostas que estão sendo apresentadas por vereadores sejam transformadas em lei pelos prefeitos brasileiros.

O estado de Minas Gerais é o campeão nessa modalidade de crime, chegando a registrar 70 casos por mês.