Venda de imóvel novo na Grande São Paulo recua 28% no semestre

Os imóveis comercializados totalizaram 24.178 unidades

São Paulo – As vendas de imóveis novos na região metropolitana de São Paulo, que engloba 38 cidades e a capital, recuaram 28% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando 24.178 unidades, de acordo com pesquisa divulgada hoje pelo Sindicato de Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de São Paulo (Secovi-SP).

No mesmo intervalo, os lançamentos caíram 9%, somando 24.739 unidades. Com isso, o indicador de Vendas sobre Oferta (VSO) médio do semestre foi de 13,5% ao mês, contra 19,1% ao mês informado entre janeiro e junho do ano passado. Em nota, a entidade reconhece que o mercado imobiliário entrou em um processo de retomada lento, mas gradual, mesmo diante das adversidades no cenário econômico.

Os lançamentos imobiliários de 2006 a 2010 têm uma média de 34 mil unidades lançadas. Mesmo diante do cenário econômico mais difícil, a entidade ainda prevê lançar 38 mil unidades neste ano. O número é bem próximo da performance do ano passado.

Estimativas

As vendas de imóveis novos na capital paulista em 2011 devem ficar 9% abaixo do apurado no ano passado, somando 32 mil unidades, segundo as estimativas do Secovi-SP.

Celso Petrucci, economista-chefe da entidade, considera o número satisfatório, visto que as vendas tinham caído pela metade no primeiro semestre. “Depois da venda de aproximadamente 36 mil unidades em 2010 estamos retornando à velocidade de cruzeiro no mercado”, observou.

Metro quadrado

O preço do metro quadrado de área útil de imóveis novos subiu 8,6% em média no acumulado do semestre na cidade de São Paulo, de acordo com os cálculos do Secovi-SP. A conta considera o preço médio ponderado dos imóveis lançados no período de 12 meses.