Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Vem aí o Peso Real?; Lula é réu pela décima vez; governadores querem estados na reforma da Previdência…

Peso Real?

Brasil e Argentina estão negociando a criação de uma moeda única para os dois países e um banco central supranacional para conduzir a política monetária comum, confirmaram nesta quinta-feira à Agência Efe, fontes oficiais argentinas. A iniciativa, da qual poucos detalhes foram revelados e é apresentada como um projeto de “muito a longo prazo”, foi conhecida no mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro realizou a sua primeira visita de Estado à Argentina desde que chegou ao poder, em janeiro. Ele se reuniu com o mandatário argentino Mauricio Macri, e se encontrou com empresários. Foi neste último compromisso que, segundo veículos de imprensa argentinos, Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, se referiram à negociação para criar uma espécie de “peso real” e um banco central supranacional.

Lula se torna réu pela décima vez

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara do Distrito Federal, aceitou nesta quinta-feira, 6, uma denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ex-ministros Antonio Palocci e Paulo Bernardo e o empresário Marcelo Odebrecht. Com a decisão do magistrado, eles se tornam réus e serão julgados pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A acusação do MPF narra que entre os dias 30 de junho e 5 de julho de 2010 o então presidente Lula, Palocci e Bernardo receberam de Odebrecht 40 milhões de dólares, 64 milhões de reais à época, em troca do aumento para 1 bilhão de dólares em uma linha de crédito do BNDES para financiar a exportação de bens e serviços a Angola, onde a empreiteira tem negócios.

Senado aprova novo marco do saneamento

O Senado aprovou nesta quinta-feira, 6, o projeto de lei que atualiza o marco legal do saneamento no país. Os senadores fizeram, no entanto, uma série de alterações que flexibilizam as regras para a migração dos estados ao modelo de contratos de concessão, com participação da iniciativa privada, para operação dos serviços. Uma das mudanças autoriza que municípios pequenos possam fazer contratos com empresas estatais sem licitação. De acordo com a alteração, fica autorizada a assinatura de acordo com empresas públicas e sociedades de economia mista caso a concorrência aberta não atraia interessados ou “não haja viabilidade econômica que justifique a sua privatização”. A votação foi feita de forma simbólica, com o registro de sete votos contrários. Agora, o texto segue para a Câmara dos Deputados. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que há um acerto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para dar celeridade à proposta.

Governadores contra retirada dos estados da reforma

Governadores de todo o país planejam apresentar uma carta de “veemente” repúdio à retirada de Estados e municípios da reforma da Previdência em tramitação na Câmara. O texto, que já está pronto, deverá ser apresentado na próxima terça-feira, 11, quando os governadores se reunirão em Brasília. No documento, eles argumentam que obrigar as gestões estaduais e municipais a aprovar mudanças em seus regimes previdenciários por meio de legislação própria, enquanto tais alterações já estão previstas na proposta em análise no Congresso, representa “não apenas atraso e obstáculo à efetivação de normas cada vez mais necessárias, mas também suscita preocupações acerca da falta de uniformidade no tocante aos critérios de Previdência a serem observados no território nacional”.

Exportação de veículos cai 30% em maio

A exportação de veículos, em unidades, caiu 30,7% em maio em comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira, 6, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram 42,1 mil unidades vendidas ao exterior no mês passado, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. No acumulado do ano, as montadoras instaladas no Brasil venderam para outros países 181,6 mil veículos, o que representa uma retração de 42,2% em comparação a igual período do ano passado. O principal motivo para o tombo é a crise da Argentina, historicamente o principal destino das exportações brasileiras de veículos.

Taiwan preocupa China após compra de armas dos EUA

Taiwan anunciou nesta quinta-feira, 6, sua intenção de fazer uma importante encomenda de tanques e sistema de mísseis portáteis aos Estados Unidos, causando uma reação da China, que expressou preocupação. O ministério da Defesa de Taiwan fez o pedido de 108 tanques de combate M1A2 Abrams, mais de 1.500 mísseis anti-tanque Javelin e TOW, bem como 250 lança-mísseis terra-ar de curto alcance Stinger, de acordo com um comunicado. A China imediatamente expressou “sérias preocupações” sobre o anúncio de Taiwan. “Nós pedimos várias vezes aos Estados Unidos para que tomasse ciência da natureza extremamente sensível e prejudicial da sua decisão de vender armas a Taiwan e de respeitar o princípio de uma só China”, disse em Pequim um porta-voz do ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang.

Sociais-democratas vencem na Dinamarca

Os social-democratas venceram as eleições legislativas na Dinamarca, impulsionados por uma maré verde e pelo declínio da direita anti-imigração. Diante da derrota do seu bloco governamental, o primeiro-ministro liberal Lars Løkke Rasmussen apresentou sua renúncia nesta quinta-feira, 6. Considerados favoritos desde as vésperas das eleições, o Partido Social-Democrata registrou uma queda marginal com relação ao seu resultado de 2015, mas terminou à frente no pleito, com 25,9% dos votos. Além disso, se beneficiaram de uma leve recuperação de outros partidos aliados da centro-esquerda para conquistar em conjunto 91 dos 179 assentos do Parlamento. Um destes aliados, o Partido Popular Socialista (considerado o principal partido ambientalista da Dinamarca), dobrou sua representação com 7,7% dos votos.

Trump comparece à celebração de 75 anos do Dia D

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta quinta-feira, 6, os laços de seu país com os Aliados da Segunda Guerra Mundial e afirmou que esse vínculo é “inquebrável” durante a cerimônia de comemoração do 75° aniversário do Desembarque na Normandia, conhecido como Dia D. “A todos nossos amigos e parceiros: a nossa prezada aliança foi criada no calor da batalha, posta à toda prova nas dificuldades da guerra e demonstrou as bênçãos da paz. O nosso vínculo é inquebrável”, disse Trump em um ato de homenagem no cemitério americano de Normandia. A seu lado estava o presidente francês Emmanuel Macron, que cumprimentou efusivamente Trump e pediu para recuperar o caminho do multilateralismo que permitiu a libertação da Europa do domínio nazista. “A vitória contra a barbárie teria sido impossível sem os Estados Unidos. E foi obtida graças a que as forças armadas estavam unidas”, afirmou Macron em frente a quase 10.000 túmulos de soldados.