Veja o momento em que jovem é agredida por PM em ato na USP

Protesto que fazia parte do Dia Nacional de Paralisação da CUT terminou em confusão entre manifestantes e polícia.

São Paulo – Dentre todos os atos que faziam parte do Dia Nacional de Paralisação, da CUT, o único que terminou em confusão, em São Paulo, foi o realizado na USP no início da manhã desta sexta-feira. 

Segundo o Sindicato de Trabalhadores da USP (Sintusp), o ato terminou com um preso e vários feridos – incluindo uma jovem que levou um soco no rosto e foi pisoteada (veja no vídeo abaixo).

PRISÃO E REPRESSÃO POLICIAL A MANIFESTAÇÃO DE ESTUDANTES E TRABALHADORES DA USP NO DIA NACIONAL DE PARALISAÇÃONOTA DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DA USP À IMPRENSA E AO PÚBLICONa manhã de hoje, 29/5, estudantes e trabalhadores da USP realizamos uma manifestação, como parte do Dia Nacional de Paralisação e Manifestações, convocado por diversas centrais sindicais, com manifestações em todo o país, contra a terceirização, a retirada de direitos trabalhistas e sociais e o ajustes fiscal dos governos. A manifestação ocorria pacificamente, quando a força policial reprimiu duramente o ato, atirando bombas, balas de borracha e gás lacrimogêneo e agredindo dezenas de estudantes e trabalhadores, deixando vários feridos, entre eles duas mulheres espancadas, uma funcionária, e uma estudante que foi socada no rosto, jogada no chão e pisoteada pelos policiais. Neste momento a polícia mantém detido um estudante do curso de Ciências Socais da USP, por participar do ato, criminalizando a manifestação. Ele está sendo levado agora do hospital, com a cabeça enfaixada em função dos ferimentos causados pela polícia, para o 34º DP.Publicaremos gravações e imagens da violência policial em nossas redes sociais.Denunciamos a repressão policial e exigimos a imediata libertação do estudante detido de forma arbitrária por motivos políticos.Diretoria Colegiada Plena do Sindicato dos Trabalhadores da USPOBS: No final do vídeo abaixo, uma estudante da USP é violentamente e covardemente agredida por PM

Posted by Sintusp Dos Trabalhadores da Usp on Friday, May 29, 2015

“A manifestação ocorria pacificamente, quando a força policial reprimiu duramente o ato, atirando bombas, balas de borracha e gás lacrimogêneo e agredindo dezenas de estudantes e trabalhadores, deixando vários feridos, entre eles duas mulheres espancadas, uma funcionária, e uma estudante que foi socada no rosto, jogada no chão e pisoteada pelos policiais”, afirma a nota do sindicato. 

A confusão começou quando os manifestantes tentaram bloquear o acesso à rodovia Raposo Tavares, no sentido Interior-Capital. Houve intervenção da Polícia Militar, que usou bombas de efeito moral, balas de borracha e gás lacrimogênio para dispersar os manifestantes.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP-SP), informou um dos policiais flagrado atirando será afastado.

“O procedimento em questão foi totalmente irregular”, diz o comunicado, acrescendo que a conduta dos policiais será investigada..