VEJA divulga áudio de Joesley que levantou suspeita de Janot

Jornalistas tiveram acesso às conversas entregues por Joesley à PGR na semana passada

São Paulo – A revista VEJA divulgou o áudio entregue à Procuradoria-Geral da República na semana passada, que levou Rodrigo Janot a declarar suspeitas sobre a delação da JBS.

Na página da revista no Soundcloud, há pelo menos três gravações já postadas. No áudio, Joesley Batista e Ricardo Saud conversam, aparentemente bêbados e sem notar que estão se gravando, sobre como se aproximar de Rodrigo Janot por meio do ex-procurador Marcelo Miller, que trabalhava junto com Janot nos casos da Lava Jato. Pela gravação, é possível inferir que a conversa aconteceu em 17 de março, no dia em que a operação Carne Fraca foi deflagrada.

Segundo o jornal O Globo, que também publicou transcrições dos principais trechos da gravação, um dos pontos mais sensíveis do áudio é quando Joesley e Saud citam Fernanda (provavelmente a advogada Fernanda Tórtima, que fez defesa de Eduardo Cunha), afirmando que ela “surtou” porque, a depender das autoridades citadas no depoimento, eles poderiam “entregar” o Supremo.

“Surtou por causa do Zé, porque sabe que, se nós entregar o Zé, nós entrega o Supremo”, diz Joesley no áudio, se referindo a Fernanda e a José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça.

“Eu falei pro Marcelo: ô Marcelo, cê quer pegar o Supremo? Quero. Pega o Zé. Guarda o Zé, o Zé entrega o Supremo”, continua, provavelmente se referindo a Marcelo Miller.

Os dois também fizeram piada com a proximidade entre Cardozo, a ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do STF, Carmen Lúcia, além de se referirem de forma chula a várias mulheres. Em um determinado momento, também é possível ouvir Joesley indo ao banheiro. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, além de Carmen Lúcia, outros dois ministros do Supremo são citadas nas gravações: Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes

“Amigo de todo mundo”

Em um outro trecho da conversa, segundo VEJA, Joesley demonstra confiança de que eles vão se livrar da prisão. Ele afirma que as delações dos dois são “a joia da coroa” do MPF, e que eles não vão ser presos.

Joesley – Vamos lá, vamos dar um passo atrás. Na minha cabeça. Marcelo é do MPF. Ponto. O Marcelo tem linha direta com o Janot. Quando falo o Janot, é Janot, Pelella…

Ricardo – Te falei… Mandei a mensagem…

Joesley – Não, não… É tudo a mesma coisa. MPF é Janot, Pelella… Qual é o nome daquele outro? É o… Que a… que a…

Ricardo – Janot… Pelella…

Joesley – E o outro lá… Ricardo, nós somos… nós somos joia da coroa deles. O Marcelo já descobriu e já falou para o Janot: ‘Janot, nós temos o cara, nós temos o pessoal que vai dar todas as provas que nós precisamos’. Ele já entendeu isso. A Fernanda surtou por quê? Porque a Fernanda entendeu que nós somos muito mais e nós podemos muito mais. E aí até a Fernanda perdeu o controle. Ela falou: ‘Nossa senhora, peraí, calma, o Supremo não, peraí, calma, vai foder meus amigos, vai…’. Só para… Ricardinho, eu não vou conseguir te explicar e te falar assim… Ricardinho, confia ni mim. É o seguinte: vamos conversando tudo, nós vamos tocar esse negócio. Nós vamos sair lá na frente, nós vamos sair amigo de todo mundo e nós não vamos ser presos. Pronto. E nós vamos salvar a empresa.

Pagamento a senador

Em um outro trecho do áudio, de acordo com a Folha de S.Paulo, Joesley e Ricardo combinavam pagamentos semanais ao senador Ciro Nogueira, do PP de Piauí.

Saud teria dito que a Odebrecht tinha oferecido fazer pagamentos no exterior a Ciro Nogueira, em troca de “um roubo” não explicado, e que Nogueira teria recusado a oferta.

No entanto, essa conversa citada parece não ter sido gravada porque Ricardo Saud se confundiu na hora de ligar o gravador.
A Joesley, Saud contou ter entregado R$ 500 mil em mãos a Ciro Nogueira em uma mala.

Ouça os áudios já divulgados pela revista. Outros serão publicados ao longo do dia, segundo a própria VEJA.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Joel jeronimo Martins

    Fora Temer ll

  2. Pedro Fernandes

    Deixa Janot sobre pressão? Não seria sobre suspeita???