Governo aplicará multa de R$ 100 mil por hora para conter greve

Carlos Marun, da Secretaria de Governo, citou existência de "locaute" e pedidos de prisão de empresários; novo pronunciamento está marcado para 17h

São Paulo – O ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo da Presidência da República, afirmou que o governo começará a aplicar multas no valor de R$ 100 mil por hora parada a quem descumprir o acordo firmado para desbloqueio das rodovias.

O ministro afirmou que o governo formou a convicção de que existe a prática de locaute (termo originado a partir da palavra em inglês lock out), que acontece quando uma paralisação é coordenada e incentivada por empresários do setor. A prática é proibida por lei.

“Hoje temos a convicção de que, além do movimento paredista, existe o locaute”, disse Marun.

“A PF já tem inquéritos abertos para investigar essas suspeitas. E os empresários suspeitos serão intimados. Rogério Galloro diretor-geral da PF também nos informou que já existem pedidos de prisão. Estão aguardando manifestação da Justiça”, completou o ministro notando que a PF não pode dar mais detalhes.

Marun concedeu entrevista neste sábado (26) após três horas de reunião, no Palácio do Planalto , com o presidente Michel Temer e ministros que integram o gabinete de crise, para avaliar a situação nas rodovias federais.

Haverá um novo pronunciamento às 17 horas após nova reunião. Marun elogiou a integração dos gabinetes de crise em vários estados com o governo federal.

Ele disse ainda que o presidente está particularmente preocupado com a situação da saúde: “Não obstante nós tenhamos os principais hospitais do País em funcionamento, abastecidos, os seus estoques são de minutos e existe nesse momento uma grande preocupação”

Na entrevista coletiva, o ministro disse que está em curso a regularização das termelétricas e dos aeroportos de Rio, de São Paulo e Porto Alegre. Segundo ele, o mesmo deve ocorrer nas próximas horas com o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

Marun lamentou que ainda ocorram pontos de bloqueio de rodovias mas notou que o desbloqueio “ajuda, mas não é solução”.

Isso porque “a crise se resolve no momento em que o caminhoneiro e a caminhoneiro voltar a cumprir sua missão de transportar as mercadorias necessárias e imprescindíveis”, segundo ele. Não foram fornecidos novos dados sobre número de rodovias bloqueadas.

Parte do pronunciamento foi registrado pela página do Palácio do Planalto no Facebook:

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. persianasflaci.blogspot.com

    Cambada de vagabundos politicos safados , escoria ,,,

    1. os politicos que sao vagabundos? Eles se propuseram aabaixar o preco do diesel e da gasolina, mas os caminhoneiros co tinua, querendo o impossivel x e por isso estao dispostos a deixar a populacao sem comida, sem remedios, sem combustivel e sem suprimentos hospitalares – isso sim que eh coisa de vagabundo.

  2. RENAN MITSUO Oka

    Ah meu caro quem vai ter 100 mil para pagar de multa por hora parada kkkkkkk ta iludido de mais rs

    1. Eh so tomar o caminhao ;)

  3. Sandro Teodoro Rodrigues

    Eu sou a favor do movimento. Pelo BRASIL melhor.FORA TEMER.O exercito no poder vai melhorar o Brasil e tirar todos esses politicos coruptos.

  4. É isso ai tem que multa esses caminhoneiros! não cumprem o acordo! multa!

    1. Ana Carolina Nikiforov

      Na hora que a gasolina tiver alta e você estiver pagando preço absurdo por comida você para de falar bosta, burro

    2. Antes poderia estar um pouco caro, mas pelo menos tinhamos comida para comprar, alem de nao corrermos o risco de morrer em um hospital que esta sem suprimentos. Ana Carolina eh o exemplo perfeito do brasileiro imediatista que simplesmente compra uma ideia e a defende com unhas e dentes, sem perceber que esta causando enormes prejuizos.

    3. Ana Carolina Nikiforov, claro, parar o Brasil inteiro por mais de uma semana ferrando mais ainda a situação econômica do país vai resolver as coisas de forma mágica, nem parece que quem vai pagar o prejuízo depois vai ser nós com aumento de preços em tudo.

      Sem contar a falta de comida que vai ter em todos lugares logo se continuar, a falta de gasolina impedindo as pessoas de irem trabalhar ou ir nas aulas, etc…

  5. Se não tiver 100 mil tira o caminhão!