Vazamento em tubulação de gás assusta moradores no Rio

Bombeiros estiveram no local e nenhuma pessoa precisou de atendimento pelas equipes de socorro

Rio de Janeiro – Um vazamento de gás durante a madrugada de hoje (19) causou transtorno aos moradores da Rua Bela, em São Cristóvão, na zona norte. Uma escavadeira perfurou um cano na Rua José Clemente, onde ocorrem obras para revitalização da região portuária do Rio.

Os bombeiros do quartel do bairro estiveram no local e nenhuma pessoa precisou de atendimento pelas equipes de socorro. O acidente aconteceu por volta de 1h e, segundo os moradores e os comerciantes da região, o serviço de gás ainda estava suspenso até o fnal da manhã. A concessionária Porto Novo é responsável pela obra.

Em frente à Rua José Clemente há uma vila residencial de aproximadamente 40 casas. Segundo relato da moradora Maria de Souza, de 49 anos, os moradores começaram a sentir um cheiro forte de gás e ouviram um barulho muito alto. Vários moradores passaram mal com o cheiro e só puderam retornar às suas casas por volta de 5h.

“A gente começou a bater de casa em casa para todo mundo sair porque o cheiro estava muito forte. Alguns moradores passaram mal: a maioria estava vomitando”, disse a moradora. As pessoas que residem no local do acidente também receberam orientações dos bombeiros: “Eles informaram também que só duas horas depois é que a gente poderia ligar ou desligar a luz e orientaram a abrir as janelas e as portas para o gás sair”, contou Maria de Souza.

O filho da moradora, Leonardo de Souza, de 12 anos, disse que acordou assustado com o barulho. Segundo ele, parecia que estava chovendo e os moradores ficaram com medo de uma explosão. “Eu acordei a noite e ouvi as pessoas falando ‘olha o gás, olha o gás’, e quando eu ouvi o barulho eu achei que fosse um trovão e um barulho como se fosse de chuva. Eu chamei a minha mãe e nós saímos de casa, aí eu senti um cheiro muito forte, que parecia ser tóxico. Quando as pessoas sentiram o cheiro, passaram mal. Eu fui correndo para o portão e falaram que era o gás que tinha vazado porque estavam trabalhando a noite e tinham furado o cano do gás”, disse.

A Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro (CEG) informou em nota que a tubulação de gás atingida não havia sido mapeada e que, para evitar esse tipo de acidente, desenvolveu um guia com os procedimentos a serem seguidos antes de iniciar para evitar que a rede de gás seja atingida em processos de escavação. A companhia também informou que o gás natural é mais leve que o ar e que, em caso de escapamento, se dissipa rapidamente na atmosfera.