Vacinação contra sarampo e poliomielite bate meta, diz Saúde

Campanha vacinou 95% das crianças menores de cinco anos; faixa etária de um ano foi a única que não atingiu índice desejado

São Paulo — O Ministério da Saúde informou nesta segunda-feira (17) que a campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite atingiu 95% do público-alvo e cumpriu a meta estabelecida pela agência federal. 

A ofensiva para imunizar crianças menores de cinco anos nos municípios brasileiros teve início em agosto e terminou na última sexta-feira. Ao todo, a campanha registrou uma cobertura vacinal de 95,4% para pólio e de 95,3% para sarampo.

No entanto, meio milhão de crianças com um ano não receberam as doses recomendadas. Essa faixa etária foi a única que não chegou a 95%, com cobertura de 88%.

Segundo o Ministério da Saúde, mais de 4,4 mil municípios tiveram sucesso. Dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) mostram que foram aplicadas 21,4 milhões de doses das vacinas (10,7 milhões de cada).

A Campanha deste ano foi indiscriminada, ou seja, todas as crianças de um ano a menores de cinco anos tiveram que se imunizar independentemente da situação vacinal.

Em nota, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, afirmou que o empenho de toda a população e dos profissionais de saúde foi essencial para garantir o sucesso da campanha. “O resultado positivo é responsabilidade de todos que entenderam a importância de mantermos elevadas coberturas vacinais para evitar que doenças eliminadas voltem a circular no país, como tem acontecido com o sarampo. A vacina é a forma mais eficaz de proteger nossas crianças contra essas doenças”, disse o ministro.

Estados

De acordo com os números, quinze estados bateram a meta. No entanto, Alagoas, Rio Grande do Norte, Amazonas, Bahia, Acre, Pará, Piauí, Roraima, Rio de Janeiro e o Distrito Federal ainda não conseguiram vacinar 95% das crianças.

Por orientação do Ministério da Saúde, essas regiões deverão buscar alternativas para atingir a taxa de imunização. Os estados terão até 28 de setembro para apresentar os dados ao órgão. 

No Rio de Janeiro, por exemplo, a Secretaria de Estado de Saúde prorrogou até o próximo sábado (22) a campanha. Nesse dia, haverá um novo “Dia D de vacinação”. Até a semana passada, a cobertura vacinal no estado estava em 79% contra a poliomielite e de 80% contra o sarampo.

Evitar novo surto de sarampo

A Campanha de Vacinação deste ano foi motivada para evitar um novo surto de sarampo. Até a última semana, já havia 1,6 mil casos confirmados da doença viral no país. Outros 7 mil ainda estão em investigação.

A infecção, causada por um vírus altamente contagioso, havia sido considerada erradicada no Brasil em 2016 pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Os estados que concentram o maior número de casos são Amazonas, com 1,3 mil pessoas infectadas, e Roraima, que registrou 301 ocorrências. Até o momento, as duas regiões foram as únicas que reportaram mortes em decorrência do sarampo, com quatro vítimas em cada estado.