Tumulto e arrastão geram correria durante Virada em SP

Mesmo com um clima geral pacífico, houve ocorrências de tumulto, brigas e arrastões na noite da Virada Cultural

São Paulo – Mesmo com o clima geral sendo pacífico durante a madrugada da Virada Cultural no centro de São Paulo, no sábado, 18, à noite, houve tumulto e arrastões. “Da minha casa eu já vi vários arrastões acontecerem. Liguei para o 190, mas ninguém atendeu. Não dá para sair segura hoje na rua”, declarou uma moradora da Avenida São João, um dos locais onde a Virada foi realizada.

Perto dali, na Rua Dom José Gaspar e na Avenida São João, um tumulto foi causado por algumas dezenas de jovens que corriam pela região. “É todo ano isso. Tem de tomar cuidado”, disse um comerciante da região. Um princípio de arrastão provocou medo e correria por volta das 23h50, na rua Quintino Bocaiuva com a Rua Direita, no centro da cidade. Alguns comerciantes fecharam as portas de seus estabelecimentos até a chegada da Polícia Militar.

Mesmo com uma viatura a 200 metros da pista de reggae na Rua Conselheiro Nebias, um jovem apanhava de outros quatro enquanto a multidão dançava. O clima era tenso na proximidade da praça Princesa Isabel. Duas garotas também brigaram em frente aos mesmos policiais, que assistiram a tudo sem descruzar os braços. A Praça da República, um ponto às escuras, sofreu com brigas entre gangues rivais que saiam ou chegavam dos palcos do Arouche e da República.