TRF4 diz que auxiliar técnico curtiu tuíte de general por engano

Em nota de esclarecimento, o tribunal publicou que o servidor pensou usar sua conta pessoal no Twitter

São Paulo – Os administradores do perfil oficial do Twitter do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o Tribunal da Lava Jato – responsável pelos processos da operação em segunda instância -, em Porto Alegre, estão às voltas com um episódio insólito.

A Corte investiga o fato de a sua página na internet ter curtido na madrugada desta quarta-feira, 4, mensagens do general-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas.

Após sofrer críticas nas redes de diversos seguidores sobre o aparente endosso ao pronunciamento do general, o perfil do TRF-4 publicou uma errata, na noite desta terça-feira. No final da manhã desta quarta, uma outra nota de esclarecimento foi publicada.

O tribunal disse que houve uso indevido da senha do Twitter da corte e que o responsável, um servidor que auxilia na administração técnica da página, pensou estar utilizando sua conta pessoal.

A Corte destaca, ainda, que como órgão público “não curte nada” e que procura fazer da sua página um informativo oficial sobre as atividades e julgamentos, sem emissão de comentários de natureza política. O Tribunal informou que a curtida não é uma postura institucional e não é seu entendimento.