Total de endividados sobe a 65,3% em fevereiro, diz CNC

De acordo coma CNC, o comprometimento da renda do brasileiro com gastos extras no início de ano levaram a uma elevação no nível de endividamento das famílias este mês

São Paulo – A parcela de consumidores que se declararam endividados saltou de 59,4% em janeiro para 65,3% em fevereiro, de acordo com a Pesquisa Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) divulgada hoje pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

A fatia de consumidores pesquisados que se declararam endividados este mês também foi maior do que os 61,8% em igual mês do ano passado. O levantamento ouviu 17.800 consumidores em todas as capitais do Brasil e no Distrito Federal.

Em comunicado, a CNC informou que o comprometimento da renda do brasileiro com gastos extras no início de ano, como pagamentos de matrícula e de material escolar, Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), levaram a uma elevação no nível de endividamento das famílias este mês.

Ainda segundo a CNC, houve um ligeiro aumento na fatia de consumidores endividados que se declararam com débitos ou contas em atraso, de 22,1% para 23,4% dos entrevistados, de janeiro para fevereiro. Porém, o porcentual para esta resposta era maior em fevereiro de 2010 (25,6%).

Já o porcentual de consumidores endividados sem condições de pagar suas dívidas recuou levemente, de 7,9% para 7,7% de janeiro para fevereiro – sendo que, em fevereiro de 2010, este porcentual para esta mesma resposta era maior (8,6%). No total de pesquisados que se declararam endividados em fevereiro, 70,8% apontaram o cartão de crédito como um de seus principais tipos de dívida, seguido por carnês (22,1%) e financiamento de carro (10,7%).

Intenção de compras

O consumidor brasileiro refreou sua intenção de consumo em fevereiro ante janeiro. Segundo a CNC, o Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) caiu 1,8% em fevereiro. Porém, na comparação com fevereiro de 2010, o indicador subiu 0,7% em fevereiro deste ano.

Para a CNC, os bons sinais apresentados pelo mercado de trabalho ajudaram a compor o resultado positivo deste mês, na comparação com igual mês no ano passado. A pesquisa apurou ainda que o indicador referente à percepção do consumidor quanto ao cenário de emprego atual caiu 1,7% de janeiro para fevereiro, mas mostrou alta de 2,4% na comparação com fevereiro de 2010.

No caso do indicador que mede a satisfação do consumidor quanto à renda atual, o índice mostrou queda de 4,4% de janeiro para fevereiro deste ano; mas subiu 0,6% na comparação com fevereiro de 2010, ante fevereiro deste ano.

Porém, o consumidor já sentiu as medidas adotadas pelo Banco Central (BC), como aumento de juros para tentar conter a alta da inflação. Para a CNC, o brasileiro sentiu em fevereiro um encarecimento no crédito. O índice de intenção do consumidor quanto às compras a prazo caiu 4,1% de janeiro para fevereiro; e mostrou queda de 0,4% em fevereiro deste ano, ante fevereiro de 2010.