Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

The Intercept divulga áudio; US$ 231 mi na Creditas; Tabata ameaçada por apoiar Previdência

The Intercept divulga áudio

O site The Intercept Brasil divulgou, no fim da tarde desta terça-feira (09), uma mensagem de áudio do procurador Deltan Dallagnol comemorando o veto do Supremo Tribunal Federal (STF) a um pedido do ano passado do jornal Folha de S.Paulo para entrevistar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, desde abril de 2018. Essa é a primeira gravação em áudio divulgada pelo site desde que começou, há um mês, a compartilhar mensagens trocadas, obtidas por uma fonte anônima, entre o ex-juiz federal e atual Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, com procuradores do Ministério Público Federal. Segundo o veículo, o arquivo de som não passou por perícia.

Tabata ameaçada

O PDT ameaça expulsar a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) se ela votar a favor da reforma da Previdência. Em reunião realizada nesta terça-feira (9), com a bancada do PDT na Câmara, o presidente do partido, Carlos Lupi, disse que quem apoiar as mudanças nas regras de aposentadoria propostas pelo governo de Jair Bolsonaro será punido com o desligamento. Tabata é favorável à reforma e lidera um grupo dentro do PDT que também promete acompanhá-la na votação. O ex-ministro Ciro Gomes, candidato derrotado do PDT à Presidência da República, chegou a telefonar nesta terça para a deputada, pedindo para que ela seguisse a determinação do partido, mas não obteve sucesso.

Câmara rejeita prisão após 2ª instância

O grupo de trabalho criado para analisar o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, rejeitou nesta terça-feira, 9, a proposta que permitia o início da prisão após condenação em segunda instância judicial. A medida era a principal mudança do pacote que altera 16 trechos do Código Penal. A rejeição é mais uma derrota de Moro no Congresso. Responsável pela condenação de dezenas de políticos na Lava Jato, o ministro tem enfrentado resistência para levar adiante seus planos. O revés mais recente foi a transferência do Conselho de Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) da sua pasta para o Ministério da Economia. A mudança foi uma exigência de parlamentares para aprovarem a medida provisória que reduziu de 29 para 22 o número de ministérios.

Coaf não informa sobre Greenwald

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) alegou sigilo e não esclareceu ao Tribunal de Contas da União (TCU) se está realizando algum tipo de análise sobre movimentações financeiras do jornalista Glenn Grennwald, do site The Intercept Brasil. A resposta foi protocolada no TCU na tarde desta terça-feira, 9, junto com a manifestação do ministro da Economia, Paulo Guedes – este, por sua vez, explicou que apenas o Coaf, por ser um órgão autônomo, poderia dar informações e se disse “intrigado”.

US$ 231 mi na Creditas

A fintech brasileira Creditas, especializada em empréstimos com garantia de imóveis e automóveis, receberá um aporte de 231 milhões de dólares. O contrato acaba de ser fechado, e a rodada de investimentos avaliou a empresa em um valor de 750 milhões de dólares. O valor foi capitaneado pelo fundo japonês SoftBank, que investirá 200 milhões de dólares. O restante ficou a cargo dos fundos que já são parceiros da fintech: o sueco Vostok Emerging Finance, o britânico Amadeus Capital e o Santander Innoventures, ligado ao banco espanhol.