Termo com Labogen foi assinado após avaliação, diz Padilha

O Labogen é considerado carro-chefe do esquema de lavagem de R$ 10 bilhões conhecido como Operação Lava Jato

Ribeirão Preto – O ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, provável candidato do PT ao governo paulista, afirmou nesta sexta-feira, 02, em Ribeirão Preto (SP), que o termo para uma possível Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) com o Labogen, assinado por ele, foi recebido pela pasta após uma “profunda avaliação técnica”.

Para Padilha, o termo de compromisso veio do laboratório da Marinha e passaria ainda por uma série de filtros antes da assinatura de um possível contrato.

O Labogen é considerado carro-chefe do esquema de lavagem de R$ 10 bilhões conhecido como Operação Lava Jato, segundo a Polícia Federal.

“Entre receber o termo e o possível contrato, uma série de filtros de avaliação seria feita. Tudo que está sendo revelado hoje sobre o laboratório impediria qualquer tipo de contrato”, afirmou ele, durante visita à Agrishow, que termina hoje na cidade paulista.

Padilha repetiu ainda a frase dita em sua primeira entrevista após a revelação de que o ex-assessor do Ministério da Saúde Marcus Cezar Ferreira seria a ponte com o laboratório do doleiro Alberto Youssef, preso por suspeita de utilizar a empresa para lavagem de dinheiro.

“Mente quem diz que tem ou teria contrato do ministério com o Labogen”, disse Padilha.