“Temos chances concretas em todas as cidades”, diz Lula

Segundo Lula, julgamento do mensalão durante o período eleitoral não era o foco do eleitor e não terá interferência negativa para os candidatos petistas

São Bernardo do Campo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se mostrou otimista com o desempenho do PT nas eleições municipais em todo o país neste domingo.

Lula disse que o julgamento da ação penal do chamado mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) durante o período eleitoral não era o foco do eleitor, e que não terá interferência negativa para os candidatos petistas.

“Mesmo em cidades em que a gente possa não ganhar, a performance do PT será muito boa. Temos chances concretas em todas as cidades”, disse Lula a jornalistas após registrar seu voto em São Bernardo do Campo, acompanhado do candidato à reeleição Luiz Marinho (PT), seu ex-ministro.

“O povo é muito inteligente, o povo sabe o que é a diferença das coisas, o povo sabe o que é julgamento, e o que é uma votação. O povo está querendo escolher um prefeito para cuidar da sua rua, do seu bairro, sua vila, para cuidar da sua cidade, é isso que eles enxergam num candidato. Fora isso, as pessoas não quererem saber se é corintiano, são paulino, santista”, argumentou Lula.

Sobre a disputa na capital paulista, Lula se mostrou confiante de que o petista Fernando Haddad, candidato indicado pelo ex-presidente para concorrer na eleição, irá para a disputa no segundo turno.

Segundo duas pesquisas divulgadas no sábado, a disputa está indefinida. O Ibope apontou empate entre Haddad, José Serra (PSDB) e Celso Russomanno (PRB), com 22 por cento das intenções de voto cada.

Já o Datafolha mostrou os três candidatos em um empate técnico: Serra com 24 por cento, Russomanno com 23 por cento e Haddad com 20 por cento. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos.

“Eu penso que nós estamos em uma situação privilegiada, eu acho que o Fernando Haddad é, de todos os candidatos, aquele que tem melhores condições porque é o que apresentou a melhor proposta para São Paulo”, afirmou.

Segundo o ex-presidente, “é muito remota ou inexistente” a possibilidade de Haddad não ir para a próxima rodada da votação.

Lula ainda descartou que as disputas municipais estremeceram a aliança entre PT e PSB. Em Fortaleza, Belo Horizonte e Recife, por exemplo, os dois partidos estão de lados opostos na eleição.

“Algumas pessoas tentaram transformar uma divergência de Recife em uma divergência nacional, e não existe essa hipótese”, disse. “O PSB continua sendo nosso aliado.”