Temer visita abrigos para venezuelanos em Roraima

Nos últimos cinco meses, 416 venezuelanos cruzaram todos os dias a fronteira com o estado em busca de abrigo

O presidente Michel Temer desembarca nesta quinta-feira em Roraima para visitar abrigos e acompanhar as ações de acolhimento aos imigrantes e refugiados venezuelanos. Com o agravamento da crise humanitária e econômica na Venezuela, que sofre com desabastecimento de alimentos e remédios, milhares de pessoas têm deixado o país. Nos últimos cinco meses, 416 venezuelanos cruzaram todos os dias a fronteira com o estado em busca de abrigo no Brasil.

“O povo irmão da América do Sul atravessa um momento preocupante e não há espaço para hesitações”, afirmou Temer, durante a cúpula do Mercosul, em Assunção, capital do Paraguai, no início desta semana (inicialmente, a viagem estava prevista para terça).

Reportagem de EXAME mostrou que o número de venezuelanos que entraram em Roraima já é 55% maior nos cinco primeiros meses de 2018 do que em todo o ano de 2017. De acordo com a sondagem, realizada pelo Exército e pela prefeitura de Boa Vista, dos 12.000 venezuelanos que entram por mês em Roraima, 22% (equivalente a 2.700 pessoas) permanecem na capital. Hoje, a cidade conta com 25.000 refugiados da Venezuela.

Em abril, o estado chegou a entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal pedindo o fechamento temporário da fronteira com a Venezuela e ações imediatas do governo federal para conter a crise. Foi necessária a reunião do Mercosul para Temer decidir ir averiguar a situação com os próprios olhos.

Ele irá à Pacaraima, cidade que faz divisa com a Venezuela, onde visitará o centro de triagem de imigrantes da Polícia Federal. Na capital Boa Vista, conhecerá um centro de atendimento aos imigrantes, que conta com o apoio dos governos federal e estadual e da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Continuamos vigilantes frente a uma deterioração humanística no quadro daquele país. No Brasil, temos recebido milhares e milhares de imigrantes venezuelanos que buscam uma vida melhor” afirmou Temer, em discurso proferido durante reunião de líderes do Mercosul. Segundo ele, o Brasil tem distribuído roupas e alimentos para os imigrantes.

Em Assunção, os representantes do grupo assinaram uma declaração sobre a Venezuela, na qual confirmam a preocupação com a crise humanitária no país e pedem ao presidente Nicolás Maduro que atue para resolver o problema.