Temer acionou Abin para investigar Fachin, diz VEJA

O governo reiterou que "não há, nem houve, em momento algum a intenção do governo de combater a operação Lava Jato"

Reportagem de capa da revista  VEJA desta semana afirma, de acordo com uma fonte, que o presidente Michel Temer teria acionado o serviço de inteligência brasileiro, a Abin, para investigar a vida do ministro do STF Edson Fachin, relator da Lava Jato.

Segundo informações da publicação, a decisão teria sido combinada em uma reunião no Palácio do Jaburu no final da noite de 3 de junho.

Na manhã daquele dia, o ex-assessor presidencial Rodrigo Rocha Loures, apontado como homem de confiança de Temer e que foi flagrado com uma mala de R$ 500 mil, tinha acabado de ser preso a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot,  com a anuência de Fachin.

Até o momento, de acordo com a reportagem, os únicos indícios constrangedores que a Abin conseguiu apurar é que o ministro do STF voou no jatinho da JBS — o mesmo que foi usado por Temer quando era vice.

A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República divulgou nota oficial nesta sexta-feira, 9, para negar que o presidente Michel Temer tenha acionado a Agencia Brasileira de Inteligência (Abin) para investigar a vida do Ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, conforme divulgado pela revista Veja.

Segundo a assessoria do Planalto, Temer “jamais” acionou a Agencia com essa finalidade.

“O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei”, diz o texto. A nota destaca ainda que “a Abin é órgão que cumpre suas funções seguindo os princípios do Estado de Direito, sem instrumentalização e nos limites da lei que regem seus serviços”.

O governo reiterou que “não há, nem houve, em momento algum a intenção do governo de combater a operação Lava Jato”, conclui o texto.

Veja a íntegra da nota:

“Nota à imprensa

O presidente Michel Temer jamais “acionou” a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para investigar a vida do Ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, como publicado hoje pelo site da revista Veja. O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei.

A Abin é órgão que cumpre suas funções seguindo os princípios do Estado de Direito, sem instrumentalização e nos limites da lei que regem seus serviços.

Reitera-se que não há, nem houve, em momento algum a intenção do governo de combater a operação Lava Jato.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República”