Temer deve deixar para depois decisão do Ministério da Segurança

No fim da cerimônia da assinatura de decreto de intervenção, Temer não respondeu e só gesticulou que "depois"

Brasília – O presidente Michel Temer gesticulou, no fim da cerimônia de assinatura do decreto de intervenção no Rio de Janeiro, que decidirá depois sobre a divisão do ministério da Justiça para criar a pasta de Segurança Pública. No fim da cerimônia, ao ser abordado por jornalistas, Temer não respondeu e só gesticulou que “depois”.

Reunião

Temer participará neste sábado de uma reunião no Palácio Guanabara no Rio de Janeiro para dar andamento às ações do decreto assinado nesta sexta-feira, 16, que instituiu intervenção na área de segurança no Rio. A reunião foi confirmada pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sergio Etchegoyen.

O ministro disse ainda que o planejamento do carnaval no Rio “não sofrerá alterações, até mesmo porque não haveria tempo hábil para uma mudança agora”, acrescentou.

A previsão é que a reunião acontece de manhã e devem estar presentes o governador Luiz Fernando Pezão e o interventor, general Braga Neto, além de ministros.