Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Israel demole residências palestinas próximas à fronteira; Tabela do frete suspensa; Vale divulga queda de 34% na produção 

Com ameaça de greve, nova tabela do frete é suspensa

Sob ameaça de greve dos caminhoneiros, o Ministério da Infraestrutura confirmou nesta segunda-feira, 22, que pediu a suspensão das novas regras para o frete mínimo rodoviário à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A medida, publicada em resolução pela agência na última quinta-feira e em vigor desde sábado, desagradou os caminhoneiros. Desde então, grupos articulam atos para protestar contra a decisão. Na próxima quarta, 24, o ministro deve se reunir com lideranças de grupos de caminhoneiros para negociar uma nova tabela de frete. A fixação do frete mínimo foi reivindicada durante a greve dos caminhoneiros do ano passado. Até este sábado, quando a resolução da ANTT entrou em vigor, o método utilizado levava em conta apenas a quilometragem percorrida. Agora, fatores como o tempo de carga e descarga, custo com depreciação do caminhão, entre outros, também entrarão no cálculo. nova tabela foi criada em conjunto com o Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial, ligado à Universidade de São Paulo.

Governo faz novo corte no Orçamento: R$ 1,4 bilhão

O governo federal anunciou nesta segunda-feira, 22, um corte de 1,442 bilhão de reais no Orçamento de 2019 para o Executivo, em evento de apresentação do relatório bimestral de avaliação de receitas e despesas. Segundo a equipe econômica, o motivo para o bloqueio é a diminuição de previsão de receita para o ano. O presidente Jair Bolsonaro disse que apenas um ministério foi afetado. No entanto, a pasta em questão não foi divulgada e deve constar em decreto a ser publicado apenas na próxima semana, segundo o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. Segundo o governo, o Orçamento deveria ser cortado em 2,251 bilhões de reais. No entanto, foram utilizados 809 milhões da reserva orçamentária para reduzir o impacto da medida, tornando o corte, na prática, de 1,442 bilhão de reais. A reserva orçamentária existe para ajudar o governo em casos de emergência.

Bolsonaro: acusações contra Flávio já foram ‘resolvidas’

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) nesta segunda-feira, 22. Segundo ele, uma a uma as acusações contra o filho já foram resolvidas. E destacou que “está sobrando apenas ouvir o Queiroz. Mais nada”. No caso dos vários depósitos de 2.000 reais que supostamente seriam uma forma de fugir do Coaf, o presidente defendeu: “Esse depósito feito por envelope o limite é de 2.000 reais. Não sei quantos, talvez alguns milhões de depósito são feitos por semana nesse sentido”, disse. No caso da compra de 19 imóveis vendidos tempos depois, o presidente apontou que o valor estimado não era verdadeiro. Na última terça-feira, o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, suspendeu todas as investigações a respeito de Flávio e seu ex-assessor Fabrício Queiroz baseadas no compartilhamento de dados bancários e fiscais com o Ministério Público sem autorização do Poder Judiciário. A decisão, tomada no curso de um Recurso Extraordinário que corre em segredo de Justiça, vale em todo o país e se estende a qualquer pessoa investigada na mesma situação do parlamentar.

Previsão do PIB volta a crescer após 20 quedas

Analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central aumentaram ligeiramente a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019.  Nesta semana, os economistas estimam que a economia brasileira crescerá 0,82% este ano. O aumento foi tímido, de 0,01%, mas é a primeira revisão para cima feita em 20 semanas pelo mercado. Os dados são do Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 22. A previsão de alta interrompe uma sequência de quedas consecutivas que vinha desde fevereiro deste ano. Na semana passada, quando os economistas foram consultados pelo BC, o ministro da economia, Paulo Guedes, anunciou que o governo liberaria o saque de contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. O objetivo é alavancar a economia e o consumo.

Vale divulga queda de 34% na produção 

Em relatório publicado nesta segunda-feira, 22, a mineradora Vale informou que sua produção de minério de ferro caiu 33,8% no segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado e 12,1% em relação ao trimestre anterior. A retração é apontada como consequência de paralisação de minas após o desastre de Brumadinho, em janeiro deste ano. A ruptura da barragem na cidade mineira deixou 248 mortos. Há 22 pessoas ainda desaparecidas. Além da queda na produção, a Vale também registrou recuo nas vendas de minério de ferro e pelotas. A queda foi de 18,2% no segundo trimestre, ante mesmo período de 2018. O volume de vendas de minério e pelotas somou 70,8 milhões de toneladas entre abril e junho. Na comparação com o primeiro trimestre, porém, as vendas cresceram 4,5%, devido ao consumo de estoques no exterior, disse a empresa.

Acordo sobre teto

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, confirmaram em nota nesta segunda-feira, 22, o acordo com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre o teto da dívida. Segundo eles, isso garantirá a segurança nacional e também investimentos em “prioridades da classe média que avançam na saúde, segurança financeira e no bem-estar do povo americano”. As lideranças democratas afirmaram que, com a solução, acaba a ameaça de que parte do orçamento fique paralisado. “Com este acordo, nós conseguimos evitar outra paralisação parcial do governo, o que é tão prejudicial, para atender às necessidades do povo americano e honrar o trabalho de nossos funcionários públicos”, dizem eles.

Israel demole residências palestinas próximas à fronteira

Forças do exército e da polícia israelense começaram a demolir nesta segunda-feira, 22, dezenas de prédios palestinos nos arredores de Jerusalém. Segundo organizações pró-Palestina, a área onde os edifícios estão pertence à Área A da Cisjordânia, sob jurisdição exclusiva da Autoridade Nacional Palestina (ANP). Moradores afirmaram terem recebido permissões para construir suas casas da própria ANP. O governo de Israel, contudo, diz que os apartamentos ficam muito perto da fronteira que separa a cidade de Jerusalém da área controlada pela ANP. Em junho, a Suprema Corte israelense determinou a demolição dos edifícios por considerar que eles são perigosos por estarem perto da cerca de separação construída por Israel para delimitar a fronteira. Em nota, a União Europeia (UE) condenou a demolição e afirmou que a maioria dos edifícios está localizada em áreas de controle civil palestino.

Onda de calor faz França acender alerta climático 

Autoridades de Paris ativaram nesta segunda-feira, 22, um plano de alerta climático para a cidade enquanto a França se prepara para nova semana de temperaturas elevadas cerca de um mês após enfrentar condições climáticas semelhantes em junho. O alerta de “nível três” inclui medidas para garantir que idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade sejam regularmente monitoradas e que abrigos estejam adequadamente preparados. O serviço nacional de meteorologia da prevê que a temperatura em Paris alcance a máxima de 37ºC na terça-feira. Além da capital, mais de 20 regiões, principalmente no sul do país, também estão sob alerta climático.

Zelenski deve conquistar a maioria do parlamento da Ucrânia

Com 70% das urnas apuradas na eleição legislativa da Ucrânia, o ex-comediante e agora presidente, Volodimir Zelenski, está prestes a conquistar a maioria das cadeiras no Parlamento e evitar coalizões com outros partes. Até o momento, o partido Servo do Povo — nome de seu programa de televisão — obteve 44,6% dos votos. As projeções de vários meios de comunicação ucranianos mostram que poderá obter pelo menos 226 assentos de um total de 450 no Parlamento. Durante a corrida presidencial, Zelenski alavancou sua candidatura com um discurso antissistema, anticorrupção e pró-ocidente. Eleito em abril, o ex-comediante não tinha representação no Parlamento. Dissolveu a casa em maio e convocou novas eleições. A insatisfação popular na Ucrânia com o combate à corrupção e o com o crescimento econômico no governo anterior levaram os ucranianos a exigir uma onda de renovação no parlamento. De todas as cadeiras, cerca de 60% darão lugar a pessoas que não têm passado na política.