Suplicy desafia Serra e Kassab para o banho do balde de gelo

Após viralizar entre as celebridades, campanha de entidade americana entra também na disputa eleitoral brasileira

São Paulo – Depois de arrebatar nomes como Mark Zuckemberg, Bill Gates, Jeff Bezos, entre outras incontáveis celebridades internacionais e brasileiras, o desafio do balde de gelo agora já chega ao contexto da disputa eleitoral de 2014.

Aderindo à campanha criada para arrecadar recursos para portadores de esclerose lateral amiotrófica (ELA), o senador Eduardo Suplicy (PT) publicou hoje vídeo no qual aparece despejando o já famoso balde gelo em sua própria cabeça.

Em solidariedade as 13 milhões de pessoas no Brasil que são portadoras de doenças raras, dentre as quais a ELA, considerando a sugestão do Instituto Baresi, eu apresentei três projetos de lei para desenvolver no Brasil uma política nacional das doenças raras, afirma.

//www.youtube.com/embed/GdLzt8z7LMA?rel=0

Conhecido por seu comportamento peculiar , que já rendeu muitas pérolas ao longo da vida política, Suplicy, de 73 anos, aparece no vídeo de camisa regata branca e provoca os rivais na disputa por mais um mandato no senado.

Desafio meus principais adversários ao senado federal como a Ana Luiza (PSTU), o José Serra (PSDB) e o Gilberto Kassab (PSD) para também fazerem o teste do balde de gelo, diz antes do banho de água fria.

A piscina de Maluf valeu?

Nesta semana, o candidato a deputado federal Paulo Maluf (PP) também tentou participar da campanha ao postar no Twitter uma foto sua dentro de uma piscina.

No entanto, foi criticado por alguns internautas por não ter captado muito bem a campanha, uma vez que não seguiu as regras do desafio.

Para participar do movimento conhecido como #icebucketchallenge, é necessário não só despejar a água sobre a própria cabeça, mas também desafiar outras pessoas.

Quem participa deve fazer uma doação de 100 dólares para a entidade ALS Association, que luta contra a esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença rara e degenerativa para a qual não existe cura.

Segundo último balanço divulgado pela ALS nesta sexta-feira, a campanha já arrecadou até o momento 53,3 milhões de dólares em todo o mundo.