STF retoma julgamento que pode reverter condenações

A Corte deve retomar a análise dos recursos de alguns dos condenados do mensalão que querem anular as penas por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro

Brasília – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, abriu na tarde desta quarta-feira, 26, a sessão do plenário que pode reverter as punições de alguns dos condenados no processo do mensalão.

Interrompida na semana passada, a Corte deve retomar a análise dos recursos de alguns dos condenados que querem anular as penas por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Estão previstas na tarde desta quarta as sustentações dos advogados de Marcos Valério, Ramon Hollerbach e Cristiano Paz sobre o recurso para derrubar as punições formação de quadrilha.

Em seguida, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai opinar sobre os recursos.

Depois disso, o STF terá dois caminhos a seguir: julgar os recursos dos três e mais outros cinco condenados cujas defesas fizeram sustentação semana passada – como o ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-presidente do partido José Genoino – ou se ouvir os recursos das defesas que querem reverter as condenações por lavagem de dinheiro.

Com a mudança de composição desde o julgamento em 2002, a tendência do plenário é rejeitar as penas por formação de quadrilha aplicadas a nove condenados.

Se isso ocorrer, José Dirceu e Delúbio Soares se livram de cumprir pena em regime fechado, uma vez que as penas passariam a ser inferiores a oito anos.