Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

STF censura reportagens sobre Toffoli; museu de NY cancela evento com Bolsonaro; a reconstrução de Notre-Dame e mais...

STF censura reportagens sobre Toffoli
Os sites da revista Crusoé e O Antagonista foram notificados nesta segunda-feira, 15, que devem retirar do ar reportagens publicadas na semana passada que fazem uma menção ao presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Dias Toffoli, feita em um e-mail do empresário Marcelo Odebrecht. A decisão foi tomada pelo ministro Alexandre de Moraes na última sexta-feira, 12, e atendeu a um pedido de Toffoli. Em março, o STF abriu um inquérito para apurar a publicação de fake news contra a honra dos membros do tribunal superior. Os sites deverão pagar 100 mil reais por dia se não retirarem as reportagens. Moraes determinou também que os responsáveis pelas publicações terão 72 horas para prestar depoimento.

Salário mínimo sem ganho real
O governo federal enviou nesta segunda-feira (15) ao Congresso Nacional o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) com previsão de um salário mínimo de 1.040 reais em 2020. Hoje, o valor do salário mínimo é de 998 reais.​ O novo valor não representa um aumento real, já que o reajuste de 4,2% representa a inflação estimada para o ano para a população de baixa renda, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Essa é a primeira vez que o valor do salário mínimo ultrapassará mil reais, se for aprovado pelo Congresso Nacional. O governo também apresentou uma previsão de salário mínimo de 1.082 reais para 2021 e de 1.123 reais para 2022. Os reajustes acompanham a previsão do INPC que é de 3,7% para 2020 e 2021. No texto do projeto da LDO de 2020, a administração também ampliou a previsão de rombo fiscal para o ano que vem. De acordo com estudos da equipe de Paulo Guedes, o déficit para o resultado negativo das contas do país passa dos atuais 110 bilhões de reais para 124,1 bilhões de reais.

_

“2019 está perdido para a economia”
Em debate no Fórum VEJA EXAME 100 dias de governo, nesta segunda-feira, 15, José Roberto Mendonça de Barros, fundador da MB Associados, afirmou que o ano de 2019 está perdido para a economia. “O custo já está pago, infelizmente. Agentes econômicos já estão revendo para baixo o avanço do PIB deste e dos próximos anos”, disse no evento. Em sua avaliação, o mercado de trabalho não deve apresentar melhoras e as empresa continuarão a ter dificuldades com isso. Publicações nesta segunda-feira, 15, indicam que a análise de Mendonça de Barros caminha na direção certa. O boletim Focus, do Banco Central, reduziu sua expectativa para o PIB pela sétima vez consecutiva, de 1,97% para 1,95%. A publicação do índice IBC-BR, que é visto como uma prévia do PIB, também apresentou recuo de 0,73% em fevereiro na comparação com o mês anterior.

_

Nova queda na previsão do PIB
Economistas consultados pelo Banco Central (BC) preveem um crescimento de 1,95% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2019. Essa é a sétima semana seguida com revisões para baixo na expectativa de crescimento da economia. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 15, segundo projeções compiladas pelo Boletim Focus. Na última semana, o índice era de 1,97%. Neste ano, os economistas ouvidos pelo BC já chegaram a prever o PIB em 2,57%, na segunda semana do governo Jair Bolsonaro. No fim do ano passado, a expectativa para o crescimento da economia em 2019 era de 2,55%. A previsão para o PIB de 2020 também caiu: de 2,70% para 2,85%. Foi a segunda queda consecutiva no indicador do ano que vem. O PIB soma todos os produtos e serviços produzidos no Brasil em um ano para medir o valor da economia. Além da queda no PIB, a previsão para inflação também acelerou. Economistas preveem que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) feche 2019 e 4,06%. É a maior previsão para o ano. Na semana anterior, a previsão era de 3,90%.

Museu de NY cancela evento
O Museu de História Natural de Nova York decidiu nesta segunda-feira (15) não sediar o evento de gala da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, que vai homenagear o presidente Jair Bolsonaro, em 14 de maio. “Com respeito mútuo pelo trabalho e objetivos de nossas organizações individuais, concordamos em conjunto que o Museu não é o local ideal para receber o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Este evento tradicional irá acontecer em outro local na mesma data e hora”, escreveu.

_

A reconstrução de Notre-Dame
O governo francês afirmou que começa já nesta terça-feira a reconstrução da catedral de Notre-Dame, atingida por incêndio que levou 12 horas para ser controlado. Duas famílias francesas já anunciaram a doação de cerca de 1,3 bilhão de reais para a reconstrução. A causa do incêndio ainda não foi confirmada, mas as autoridades francesas trabalham com a hipótese que as obras de restauração do edifício, estimadas em 26,8 milhões de reais, estejam relacionadas com o início das chamas. Líderes internacionais comentaram o fato. Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, disse que o fogo é “horrível de se ver”. Em nota, o Vaticano afirmou estar “incrédulo e triste” com o incêndio da catedral. A líder alemã Angela Merkel, por meio de um porta-voz, disse que Notre-Dame é um símbolo da França e da cultura europeia e que ver as imagens do fogo doí. Ela, assim como a primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que seus pensamentos “estão com a população francesa”.

China critica relação EUA-Venezuela
O governo chinês criticou nesta segunda-feira, 15, o que chamou de mentiras do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, que acusou Pequim de prolongar a crise na Venezuela. A China é o principal credor da Venezuela e mantém relações com o governo do presidente Nicolás Maduro, que também conta com o apoio da Rússia. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, disse que Pompeo “caluniou sem justa causa” as relações entre a China e a América Latina, e que Washington vê a região como seu “quintal”. “Por algum tempo, alguns políticos dos Estados Unidos usam o mesmo discurso, o mesmo roteiro para caluniar a China em todo o mundo, atiçando as chamas e semeando a discórdia”, disse o porta-voz. “Palavras e ações são desprezíveis, mas mentiras são mentiras, mesmo que você as diga milhares de vezes, elas ainda são mentiras, sr. Pompeo, pare”, exigiu.

_

Venezuela amplia feriado da Páscoa
Nesta segunda-feira, 15, entrou em vigor um decreto na Venezuela feito pelo presidente Nicolás Maduro que amplia o feriado da Páscoa para toda a Semana Santa. Com a atitude, o presidente espera economizar energia elétrica, já que o país enfrenta uma crise nesse setor desde os dois grandes apagões nacionais em março. No carnaval, quando o primeiro blecaute aconteceu, o governo adotou medida semelhante. A decisão da administração deve impactar o setor produtivo venezuelano, que quase não produziu no último mês por causa das falhas técnicas. O setor petroleiro também sofreu os impactos do blecaute, segundo a Organização de Países Produtores de Petróleo (Opep), a produção de petróleo da Venezuela em março caiu 28,3% em relação a fevereiro.