Antes os menos violentos do país, SP e SC tornaram-se alvos

Há muitas semelhanças entre as situações de SP e SC: ambos eram estados que brilhavam no Brasil com baixas estatísticas de homicídios. Agora, sofrem onda de violência

São Paulo – As semelhanças entre os casos de São Paulo e Santa Catarina, ambos tomados por uma onda de violência, vão além das imagens de ônibus queimados e das ordens dos ataques partindo de presídios. Os dois estados estavam entre as unidades da federação com os índices mais baixos de crimes violentos do país quando levado em conta o tamanho de suas populações. Agora, é possível que isso mude.

Veja como se posicionaram os estados no ano passado em dois crimes sempre muito temidos pela população, de acordo com o Anuário de Segurança Pública:

  Homícidios dolosos em 2011 Taxa de por 100 mil hab. Latrocínios (roubo seguido de morte) Taxa por 100 mil hab.
Santa Catarina 755 11,7 (3ª menor do Brasil no ano) 39 0,6 (2ª menor do Brasil no ano)
São Paulo 4.194 10,1 (2ª menor do Brasil no ano) 316 0,8 (7ª menor do Brasil no ano)

No caso de Santa Catarina, as mortes resultantes da nova onda de violência não passam de três até agora, mas o cenário desfavorável para as estatísticas criminais de São Paulo em 2012 já está traçado.

São Paulo
Após mais de uma década caindo, o índice de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) neste ano em São Paulo deve aumentar. A questão ainda é exatamente o quanto. Até setembro, foram 3.536 mortes, 311 a mais que no mesmo período de 2011.

Mas como a escalada da violência ocorreu de fato depois dos últimos números oficiais, com execuções atrás de execuções, as estatísticas até o o final do ano devem registrar razoável crescimento. Em apenas um final de semana de novembro, foram mais de 30 mortos.

Assim, é possível que São Paulo não mantenha a segunda colocação nas taxas mais baixas de homicídios do país. Hoje perde apenas para o Amapá. Dado o tamanho da população, no entanto, dificilmente o índice poderia ser afetado a ponto de colocar o estado entre os mais violentos do Brasil.

Hoje, o índice de homicídios em Alagoas é de 74,5 a cada 100 mil habitantes, por exemplo, sete vezes o paulista.

O fato de em São Paulo haver tanta gente quanto na Argentina foi lembrado pelo governador Geraldo Alckmin nesta quinta-feira para relativizar o peso dos ataques.

EXAME.com preparou infográfico que mostra que vários indicadores de violência de 2012 já ultrapassaram as ocorrências de todo o ano de 2011, mesmo que ainda estejamos em novembro.

Santa Catarina
A onda de violência que tem aterrorizado o estado desde segunda-feira ainda não teve reflexos pesados no número de mortos, mas a situação começa a piorar, apesar da reação do governo estadual.

Três suspeitos de participar de ataques, que já atingem 13 cidades catarinenes, morreram em confrontos com a polícia entre ontem e hoje.

Os últimos números da Secretaria de Segurança Pública mostram que Santa Catarina poderia reprisar os bons números estatísticos de 2011. Mas vai depender da agilidade em reverter a violência, que se agravou nos últimos dias. 

Até agosto, haviam sido 477 assassinatos, número que poderia significar fechar o ano com os mesmos, ou menos, 755 assassinatos de 2011.

Ordens
Tanto em São Paulo como Santa Catarina, há indícios, no caso do segundo, e certeza, no caso do primeiro, que os ataques são ordenados de presídios e por facções criminosas, sendo a de SP o PCC.

Assim como fez o secretário de Segurança Pública paulista – que posteriormente aceitou uma parceria – o chefe da pasta em Santa Catarina nega que precise de ajuda do governo federal.