Skaf se esquiva de apoio a Dilma em reduto do PT

Instado pela reportagem do CQC, da rede Bandeirantes, a dizer se apoiava Dilma, o peemedebista não cedeu e disse que estava focado em sua eleição em São Paulo

Santo André – Candidato do PMDB ao governo estadual, Paulo Skaf se esquivou de manifestar apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, durante campanha na região do ABCD, reduto histórico do PT, nesta quarta-feira, 24.

Instado pela reportagem do CQC, da rede Bandeirantes, a dizer se apoiava Dilma, o peemedebista não cedeu e disse que estava focado em sua eleição em São Paulo. Adversários no Estado, PMDB e PT são aliados no plano nacional.

A equipe do CQC abordou Skaf no centro comercial de Santo André e o candidato respondeu com bom humor às provocações do repórter.

Ao ser indagado sobre uma suposta contradição em pregar o novo em São Paulo e apoiar a continuidade em Brasília, ele respondeu: “Sou candidato no Estado de São Paulo.”

O repórter pediu que declarasse apoio a Dilma e Skaf repetiu: “Minha eleição é em São Paulo.”

Em seguida chamou o governador Geraldo Alckmin, do PSDB, de mentiroso por este ter declarado, supostamente, que o peemedebista cobraria mensalidade em escolas técnicas estaduais. À reportagem, Skaf não respondeu sobre o apoio a Dilma.

O candidato do PMDB fez campanha relâmpago em quatro cidades da região que é berço do PT.

O peemedebista visitou veículos de comunicação, instituições e fez caminhadas também em Diadema, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul.

Durante a maratona de quase nove horas, aproveitou todas as oportunidades para criticar a gestão de Alckmin, seu principal adversário que, segundo as pesquisas, pode vencer no primeiro turno.

Como na Escola Estadual Deputado Gregório Bezerra, em Diadema, que considerou precária.

“Volta e meio não tem aulas porque os professores faltam e há um depósito de lixo aqui ao lado.” Em contrapartida, elogiou o Centro Municipal de Integração e Saúde da Terceira Idade em São Caetano do Sul, cidade administrada pelo PMDB.

No corpo a corpo pela região, Skaf teve reforço do vice-prefeito de São Bernardo, Frank Aguiar, candidato a deputado federal, e do estadual Jooji Hato, que busca a reeleição.

Durante a caminhada em Diadema, um morador jogou água da janela de um prédio sobre a comitiva, protestando contra o barulho do carro de som.

Mãe de um detento, Vera Lúcia Ferreira da Silva pediu melhoria no sistema prisional “superlotado” e ouviu a promessa de que, se eleito, Skaf investirá em unidade de ressocialização.

Na rápida passagem por São Bernardo, o candidato caminhou pela rua Marechal Deodoro, no centro comercial, e pediu voto a lojistas.

Em entrevista no estúdio da Rádio ABC, em Santo André, o peemedebista defendeu a reeleição e lembrou ter sido reeleito na presidência da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

“Ser reeleito é o melhor julgamento que um homem público pode ter.”

Ao comentar o desempenho na pesquisa do Ibope, disse que é preciso aguardar a eleição e não vai mudar a campanha. “Não há necessidade de fazer nada extraordinário. Vamos continuar andando pelo Estado.”