Sem-teto querem garantias para deixar Portal do Povo

MTST quer garantias de que novas moradias estão sendo construídas para deixar a ocupação na região do Morumbi

São Paulo – O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) quer garantias de que novas moradias estão sendo construídas para deixar a ocupação Portal do Povo, na região do Morumbi, na zona sul.

De acordo com uma das coordenadoras do MTST, Ana Paula Almeida, com a aprovação do Plano Diretor, a Prefeitura já pode viabilizar os terrenos para as moradias populares.

Os integrantes do movimento prometem fazer novos protestos nesta quarta-feira, dia 23, contra a reintegração de posse determinada pela Justiça do terreno.

A concentração será no vão livre do Masp, a partir das 13h. Os ativistas irão marchar pela Avenida Paulista com o apoio de sem-teto de outras ocupações.

O movimento afirma que o terreno está abandonado há 20 anos, “servindo apenas para a especulação imobiliária, não cumprindo sua função social de acordo com a Constituição Federal”.

Ainda segundo o MTST, cerca de 4.000 famílias vivem no acampamento. Os sem-teto reivindicam o terreno de 200 mil metros quadrados. Deste total, de acordo com a construtora Even, 60 mil metros quadrados pertencem à empresa.

A Even informou ainda que “a liminar para a reintegração de posse do terreno já foi expedida e está em fase de cumprimento”. A empresa também afirmou que “confia na Justiça para o garantir o direito à propriedade privada, previsto na Constituição Federal”.

A Even afirma que é dona do terreno há três anos, que todos os impostos referentes ao espaço estão pagos e que, logo após ter comprado o terreno, protocolou na Prefeitura um pedido para construir um empreendimento.

A empresa disse ainda que não participou da negociação de prorrogação do prazo para a reintegração de posse do terreno.