Sem citar nome de Moro, Bolsonaro exalta time de ministros

O presidente exaltou sua equipe de governo e as Forças Armadas: "com um time como esse que nós temos, o trabalho fica mais fácil"

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (10) que o Brasil não vive um momento fácil, ao mesmo tempo que exaltou sua equipe de ministros e as Forças Armadas, afirmando que deixa o trabalho mais fácil.

“O momento não é fácil no Brasil. Encontramos uma nação bastante sofrida nas questões ética, moral e econômica. Mas com um time como esse que nós temos, que são gente do povo, muitos abriram mão de coisas particulares para estarem entre nós, e tendo ao nosso lado essas Forças Armadas maravilhosas, de hoje, de ontem e de sempre, o trabalho fica mais fácil”, disse Bolsonaro em discurso em cerimônia para comemorar os 20 anos do Ministério da Defesa.

 

A declaração de Bolsonaro acontece no dia seguinte ao vazamento, neste domingo (9), pelo site The Intercept de mensagens privadas mostrando coordenação entre o ex-juiz federal, Sergio Moro, e o procurador responsável pela Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol.

Criação do Ministério da Defesa

No discurso, o presidente também lembrou que, em 1999, quando era deputado, votou contra o Ministério da Defesa e justificou a decisão afirmando que o nascimento da pasta não teve razão militar, mas foi uma imposição política.

Bolsonaro acrescentou que o objetivo era retirar os ministros militares da mesa presidencial e disse que a criação do ministério teve, inicialmente, impactos negativos, ao citar medidas provisórias da época que alteraram regras de aposentadoria para os militares.