Salário de servidores da Máfia do ISS chega a R$ 28 mil

Nadim El-Joukhadar e Alex de Mello já são inativos e continuam recebendo cerca de R$ 22 mil por mês de aposentadoria.

São Paulo – Os fiscais citados na nova investigação que recai sobre a Secretaria Municipal de Finanças não foram localizados na quarta-feira, 4, para comentar as acusações.

Nadim El-Joukhadar e Alex de Mello entraram com pedido de aposentadoria no ano passado, depois que a Máfia do Imposto sobre Serviços (ISS) foi descoberta. Ambos já são inativos e continuam recebendo cerca de R$ 22 mil por mês de aposentadoria.

Os demais servidores, José Rodrigo de Freitas, Leonardo Gruner, Carlos Alberto Pascini e Aloísio Ferraz de Camargo, ainda constam como ativos no Portal de Transparência da Prefeitura – seus salários médios são de R$ 28 mil, uma vez que todos são auditores fiscais tributários do Município nível II. Eles estão lotados na Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Social.

O jornal O Estado de S. Paulo mostrou que a Prefeitura vai demitir os servidores suspeitos de enriquecimento ilícito descobertos a partir do cruzamento de dados de renda e patrimônio pessoal. Serão ao menos 40 demissões nos próximos dias.

Sem comentários

O criminalista João Ramacioti, defensor do auditor Luis Alexandre Cardoso de Magalhães – que delatou o esquema do ISS após acordo e, agora, colabora com o novo caso, informou ontem que não se lembrava das informações sobre o novo esquema.

Magalhães foi intimado a comparecer ao Ministério Público no fim do mês para fornecer mais informações sobre os colegas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.