Saída de Barbosa da corrida presidencial é uma perda, diz Alckmin

Segundo o tucano, que pode se beneficiar da desistência do ex-ministro do STF, muitas alianças ainda podem ser feitas com a participação de Barbosa

Niterói – Possível beneficiado pela desistência do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, cotado para disputar a Presidência da República pelo PSB, partido de quem é aliado em São Paulo, o pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, disse lamentar a decisão do ex-ministro, que alegou motivos pessoais para desistir da corrida presidencial.

Segundo o tucano, estão ocorrendo muitas conversas, mas as alianças só devem ser conhecidas em julho – e Barbosa poderá participar de outra forma.

“É uma perda, porque precisamos de novas lideranças como ele, com mais participação e serviços para o Estado. Tenho certeza que, se não for como candidato, a participação dele será de outra forma”, afirmou.

Depois de falar a uma plateia de prefeitos da 73ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Alckmin visitou os estandes de empresas de serviço públicos, como limpeza, saneamento, telecomunicações e transportes, que patrocinam o evento. Além disso, tirou fotos com correligionários e prefeitos.

Lula

Questionado sobre as conversas que tem tido com o presidente Michel Temer, Alckmin negou que esteja negociando qualquer tipo de indulto para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e para o próprio Temer, cuja investigação pela Procuradoria Geral da República (PGR) foi prorrogada.

“Decisão judicial se cumpre”, declarou. O ex-governador defendeu o diálogo, a exemplo do que já havia feito o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que também participou do evento.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Marcia Candido

    Esse será o nosso próximo presidente. Alckmin neles!