Russomano dentro; O rito no Senado…

Russomano absolvido

O deputado federal Celso Russomano foi absolvido nesta terça-feira pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal no caso de peculato do qual era acusado. Russomano é pré-candidato e lidera as pesquisas para a prefeitura de São Paulo e, se fosse condenado, não poderia disputar a eleição. Ele era acusado de usar dinheiro da Câmara para pagar o salário de uma funcionária de sua produtora, que fazia os vídeos de seus programas de TV.

Impeachment andando

Começou às 9 horas a sessão que deve aceitar no plenário a denúncia contra Dilma Rousseff e que, na prática, transformará a presidente afastada em ré por crime de responsabilidade e poderá resultar em seu impeachment. A previsão é que a sessão dure 20 horas, mas pode ser que os senadores decidam encerrá-la às 23 horas, retornando às 9 da manhã de quarta. A previsão é que cerca de 60 senadores votem para receber a denúncia, um número maior do que os 57 que votaram pelo afastamento de Dilma no dia 11 de maio.

Lula em Brasília

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou a Brasília nesta terça-feira para ajudar Dilma Rousseff e seus assessores na elaboração da carta que a presidente afastada pretende entregar aos senadores até a quarta-feira 10. Dilma estaria consciente de que não há como reverter seu afastamento neste momento, mas deseja divulgar a carta como um gesto político. Lula também deve se reunir com a bancada do PT no Congresso para definir a estratégia do partido após o impeachment, dado como certo até mesmo por eles.

Cunha? Só depois de Dilma

Os deputados da antiga oposição — PSDB, DEM e PSB — passaram a defender abertamente a posição que já havia sido colocada pelos partidos do chamado centrão, de dar prosseguimento ao processo de cassação de Eduardo Cunha somente após o afastamento definitivo de Dilma Rousseff. Discretamente, era isso que o governo de Michel Temer defendia, já que tem medo de que, sem o cargo, Cunha retaliasse o presidente e outros ministros.

Mais denúncias na Lava-Jato

Procuradores da Lava-Jato denunciaram 15 pessoas por propinas de 20 milhões de reais na obra do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro. Os denunciados são executivos da Petrobras e das construtoras OAS, Carioca Engenharia, Schahin, Construbase e Construcap e são acusados de corrupção e lavagem de dinheiro. O valor da obra, que teve um aditivo assinado em 2008, passou de 850 milhões de reais para 1 bilhão.

Fifa abre processo contra Del Nero

A Federação Internacional de Futebol abriu um processo que pode suspender definitivamente de seus quadros o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, o paulista Marco Polo Del Nero. Como não pode viajar por causa do risco de ser preso fora do país, quem representa o Brasil lá fora é o vice-presidente da CBF, Fernando Sarney. A Fifa considera a situação constrangedora e deve dar uma punição “exemplar” a Del Nero.