Rollemberg anuncia mendidas para reduzir gastos do DF

O executivo destaca a racionalização e o controle de gastos públicos no governo, estabelecendo cotas mensais para gastos com combustível e telefonia móvel

No primeiro dia após a posse, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, elaborou medidas para reduzir os gastos da administração distrital. Em reunião com o secretariado, na manhã desta sexta-feira (2), Rollemberg anunciou um pacote de sete decretos com o objetivo de equilibrar as contas financeiras e orçamentárias do Distrito Federal.

Os sete decretos foram publicados em edição extra do Diário Oficial do DF. Um deles cria a Governança-DF, uma câmara formada por cinco secretarias com o objetivo de coordenar a programação orçamentária e financeira do Distrito Federal.

É ela que vai estabelecer, por exemplo, o valor da cota do Orçamento anual para órgãos e entidades da Administração Distrital de acordo com a disponibilidade de recursos.

Em outro decreto, o executivo destaca a racionalização e o controle de gastos públicos no governo. Para isso, estabelece cotas mensais para gastos com combustível e telefonia móvel corporativa.

Também proíbe, durante 120 dias, gastos com diárias de viagem, passagens aéreas, participação em cursos, congressos e seminários, contratação ou renovação de consultorias e com prestação de serviços de terceiros.

Na quinta-feira (1º), o governo já havia publicado um decreto de redução de 60% dos cargos comissionados para trabalhadores sem vínculo com o Distrito Federal e de redução de 20% de custo dos cargos.

Na tarde desta sexta-feira, o governador Rodrigo Rollemberg anunciou, no Palácio do Buriti, os nomes dos novos diretores de autarquias e empresas públicas do Distrito Federal. Na ocasião, Rollemberg disse que os dirigentes têm o “objetivo de ofertar serviços públicos de qualidade” e também vão ter o desafio de reduzir despesas.

Ele destacou o nome do novo presidente do Banco de Brasília (BRB), Vasco Gonçalves, servidor de carreira do banco há 22 anos. Os demais nomes anunciados foram:

Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb): Maurício Ludovice

Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap): Alexandre Navarro

Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB): Jean Marcel

Departamento de Trânsito (Detran-DF): Antônio Fúcio

Companhia Energética de Brasília (CEB): Francisco Santiago

Agência de Fiscalização (Agefis): Bruna Pinheiro

Serviço de Limpeza Urbana (SLU): Eliana Kátia

Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP): Ivone Rezende

Departamento de Estradas de Rodagem (DER): Henrique Ludovice

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater): Argileu Martins da Silva

Centrais de Abastecimento (Ceasa-DF): Renato de Lima Dias

Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab): Gilson Paranhos

Os nomes dos presidentes do Metrô e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) haviam sido anunciados anteriormente. São eles: Marcelo Dourado e Hermes de Paula, respectivamente.