Janot entra para lista dos 100 principais pensadores globais

Janot foi agraciado pelas investigações do esquema de corrupção na Petrobras pela Operação Lava Jato

São Paulo – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi escolhido um dos “100 pensadores globais de 2015” pela revista norte-americana Foreign Policy.

Janot foi agraciado, diz a revista, “por mostrar os esqueletos no armário do Brasil”, em referência à liderança nas investigações do esquema de corrupção na Petrobras pela Operação Lava Jato. O procurador-geral, portanto, faz parte da categoria “Desafiadores”.

“A gigante estatal do petróleo Petrobras foi um dos pilares da economia do Brasil. (…) Mas, no último ano, foi virada de cabeça para baixo pela descoberta de um escândalo de corrupção de cerca de US$ 3 bilhões, resultado da investigação liderada pelo procurador-geral Janot”, diz o texto.

“Com mais de 30 anos de experiência no governo, Janot — cuja equipe é constitucionalmente independente do Poder Executivo — perseguiu sem medo até mesmo os mais íntimos da presidente Dilma Rousseff”, segue a revista. “A equipe já indiciou 117 pessoas, custando inclusive o emprego da CEO da Petrobras e cinco altos executivos da empresa.”

Procurador-geral desde 2013, Janot foi reconduzido ao cargo máximo da Procuradoria-Geral da República em agosto deste ano. Além de sua atuação na Lava Jato, que o havia colocado em evidência nacional, teve papel marcante na apuração sobre as contas atribuídas ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), na Suíça.

Outro brasileiro presente no hall de pensadores é o neurocientista Miguel Nicolelis, na categoria “Inovadores”. Nicolelis foi lembrado junto aos também cientistas Justin Sanchez e Anthony Zador por pesquisas e descobertas sobre o cérebro humano que podem “auxiliar o avanço da medicina e o entendimento do nosso comportamento”.