Racionamento de água em SP pode começar em até 50 dias

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o ritmo atual de chuvas e de retirada de água do Cantareira pode obrigar o governo a decretar racionamento de água até março

São Paulo – Ficar alguns dias da semana sem água na torneira pode estar mais perto da realidade dos paulistanos do que se imagina. De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, o racionamento de água pode começar a ser aplicado já em março. 

Segundo a publicação, a ordem do governador Geraldo Alckmin é não deixar os reservatórios do Sistema Cantareira secarem. Tendo em vista o volume das chuvas dos últimos dias e o ritmo de retirada de água dos reservatórios, a Sabesp estaria avaliando aplicar o racionamento já nos próximos 50 dias.

Ontem, o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, afirmou que, para que o racionamento de água seja efetivo, os domicílios paulistas deveriam ser abastecidos apenas dois dias por semana. 

“Para fazer rodízio, teria que ser muito pesado, muito drástico. Para ganhar mais do que já economizamos hoje, seriam necessários dois dias com água e cinco dias sem água”, afirmou durante o anúncio da ampliação da adutora Guaratuba para o sistema Alto Tietê.

Ao que tudo indica, se o volume pluviométrico não aumentar nos próximos dias, a tendência é que o racionamento de água entre para a rotina dos moradores da Grande São Paulo.

A quatro dias do fim de janeiro, os reservatórios que abastecem a região receberam apenas 52,3% da média histórica de chuvas para o mês.

Veja na tabela abaixo como está a situação do Sistema Cantareira e dos outros reservatórios que abastecem a região metropolitana de São Paulo:

Reservatório Volume armazenado Chuva acumulada no mês Média mensal histórica de chuvas
Sistema Cantareira 5,1% 134,2 mm 271,1 mm
Sistema Alto Tietê 10,6% 91,5 mm 251,5 mm
Sistema Rio Claro 26,61% 157,3 mm 298,9 mm
Sistema Alto Cotia 28,5% 77,2 mm 232,0 mm
Sistema Guarapiranga 47,4% 247,2 mm 229,3 mm
Sistema Rio Grande 74,6% 225,0 mm 251,5 mm

Acompanhe diariamente como está a situação dos reservatórios que abastecem a região metropolitana de São Paulo na ferramenta de EXAME.com.