Revisão de helicóptero que caiu venceria em fevereiro

A aeronave decolou do Condomínio Iporanga, em Guarujá, e caiu poucos minutos depois

Sorocaba – O helicóptero modelo Esquilo, prefixo PT-HNC, que caiu na manhã deste sábado (27), em Bertioga, litoral norte de São Paulo, causando a morte de cinco pessoas, tinha revisão válida até 11 fevereiro de 2015, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A última revisão, válida por um ano, havia sido feita em fevereiro deste ano. Ainda segundo a Anac, o helicóptero foi comprado pela Helimarte Táxi Aéreo em 2008 e tem certificado de aeronavegabilidade válido até 2020. Desde 2005, no entanto, a Esquilo estava incorporado à frota da Helimarte.

A aeronave decolou do Condomínio Iporanga, em Guarujá, e caiu poucos minutos depois.

Outro caso

O mesmo helicóptero já havia se envolvido em outro incidente, em setembro de 2006, no Aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, onde fica a sede da empresa. Outro aparelho pousava no pátio quando, ao fazer o giro de cauda para a parada, atingiu uma das pás do rotor principal do PT-HNC, que estava estacionado.

Um laudo do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) emitido em 2010 informa que o acidente resultou em danos leves numa das pás do rotor principal da aeronave atingida.

A Helimarte confirmou ser a proprietária do helicóptero Esquilo e informou que ainda neste Sábado divulgaria uma nota acerca do acidente.