Repasse de R$ 3 mi atende Santa Casa de SP por um mês

Entidade disse que uma dívida de R$ 50 milhões com os fornecedores de insumos a impediu de abastecer seus estoques

São Paulo – O repasse emergencial de R$ 3 milhões feito pela Secretaria Estadual da Saúde para a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo será suficiente para manter o pronto-socorro aberto por um período de 20 a 30 dias, período em que a auditoria nas contas da unidade deverá ser finalizada.

A previsão foi feita pelo secretário estadual da Saúde, David Uip, ontem, em entrevista à Rádio Estadão, e confirmada pelo provedor da instituição, Kalil Rocha Abdalla.

O pronto-socorro da unidade ficou fechado por 30 horas entre terça e quarta-feira por falta de recursos para a compra de materiais e medicamentos.

A entidade afirmou que uma dívida de R$ 50 milhões com os fornecedores de insumos a impediu de abastecer os estoques da instituição.

“Vinte a 30 dias é o tempo que eu acho que nós vamos precisar para adiantar essa avaliação, que é uma avaliação pró-ativa na tentativa de melhorar a gestão da Santa Casa”, disse o secretário.

Somente após a análise das contas é que a pasta vai autorizar o repasse de mais verbas emergenciais.

Anteontem, Uip divulgou dados mostrando que a Santa Casa recebia repasse acima do divulgado pela instituição. Segundo o secretário, são R$ 34 milhões mensais vindos dos governos federal e estadual, 2,6 vezes a mais do que o recebido pela tabela SUS.

Quando anunciou o fechamento do pronto-socorro, a entidade havia dito que o repasse governamental era de R$ 20 milhões mensais.

Ontem, o provedor afirmou ao Estado “fazer questão” da auditoria. “Eles colocaram em xeque a gestão, então, agora, quero meu atestado de capacidade e honestidade.”

Abdalla disse que as contas estarão disponíveis para o governo, mas que não serão abertas, por enquanto, para a imprensa.

Ainda não foi marcada uma data para o início da auditoria. A Secretaria Estadual da Saúde disse que espera a indicação dos nomes dos representantes dos governos federal e municipal.

Um integrante do Ministério Público também será convidado a participar.

Segundo membros da diretoria da Santa Casa, a análise das contas deverá ser iniciada na semana que vem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.