Relator pede arquivamento de processo contra Chico Alencar

Antecipando sua defesa, Chico Alencar disse que a representação reúne “mentiras, falsidades, afirmações enganosas e impropriedades"

O deputado Sandro Alex (PPS-PR) protocolou hoje (26), no Conselho de Ética, o parecer preliminar do processo contra o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) pedindo o arquivamento da representação.

“Me ative aos autos do processo. Não trouxe o ambiente externo. Estes documentos são chancelados por instituições como Ministério Público Federal, Justiça Eleitoral, Receita Federal, e por decisão do Supremo Tribunal Federal e até da Secretaria-Geral da Mesa [da Câmara]”, disse.

O pedido de cassação do parlamentar foi apresentado pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), presidente do Solidariedade, que acusa Alencar de ter financiado parte da sua campanha com contribuições de funcionários de seu gabinete e de apresentar notas frias para justificar o pagamento de serviços prestados por empresa fantasma para ser ressarcido pela Câmara.

A investigação foi aberta oficialmente no último dia 11. Antecipando sua defesa, Chico Alencar disse que a representação reúne “mentiras, falsidades, afirmações enganosas e impropriedades”.

Segundo ele, o que motivou o processo foi uma tentativa de vingança diante do processo de cassação que o partido e a Rede Sustentabilidade movem contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com base em supostas contas secretas na Suíça e em delações da Operação Lava Jato.

Sandro Alex explicou que não analisou a suposta retaliação, mas disse que os detalhes sobre seu voto só serão apresentados na reunião do Conselho de Ética marcada para o próximo dia 2.

“Não analisei a retaliação. Analisei as provas que estão no processo, que é extremamente fundamentado”, afirmou.