Quase 40 são presos por boca de urna no Rio

Fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) prenderam, até às 9h45 deste domingo, 37 pessoas que faziam boca de urna

Rio de Janeiro – Fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) prenderam, até às 9h45 deste domingo, 37 pessoas que faziam boca de urna.

Na favela da Rocinha, entre as pessoas detidas estavam o candidato a vereador João Ricardo (PSDC), que será levado para a sede do tribunal, no centro do Rio.

Já o candidato a vereador pelo PTN Leo Comunidade, de uma das associações de moradores, é acusado de compra de votos e distribuir camisetas amarelas (em alusão à associação que presidiu) entre os moradores. Segundo policiais e moradores, ele estaria oferecendo R$ 100,00 a eleitores que se comprometessem a votar nele. Neste momento, 20 pessoas que vestem as camisetas distribuídas pelo candidato estão sendo encaminhadas para um ônibus da PM.

É possível ver moradores vestindo camisetas deste tipo na passarela que liga a favela ao Ciep que é o principal local de votação dos moradores. Na saída, eles tiram a camisa para não serem abordados por PMs que estão na entrada da favela. A Polícia Federal também está no local. Ao longo da passarela, cabos eleitorais de Leo Comunidade alertam as pessoas para que não atravessem com a camiseta.

De amarelo na fila para votar, Antônia de Carvalho, de 51 anos, há 30 anos moradora da Rocinha, disse justificou sua adesão à campanha do candidato a vereador: “É uma demonstração de apoio. Ele é da comunidade, nasceu aqui, a gente gosta muito dele. Comprei a camisa, não foi nada mandado”, assegurou.

Outras duas pessoas foram detidas em Botafogo, na zona sul do Rio, e doze também foram flagradas praticando o crime de boca de urna na zona norte da cidade. Segundo o TRE-RJ, todas foram levadas para o Maracanãzinho.