PT condena acusações “sem prova” de delator

Em delação premiada, ex-gerente Pedro Barusco disse que sigla recebeu cerca de US$ 200 milhões de propinas entre 2003 e 2013 do esquema de desvios da Petrobras

São Paulo – Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira, 5, a assessoria de imprensa do PT afirmou que o partido recebe apenas doações legais e que as declarações do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco “não apresentam provas ou sequer indícios de irregularidades e, portanto, não merecem crédito”, assinala o texto.

Em sua delação premiada, o ex-gerente afirmou que a sigla recebeu cerca de US$ 200 milhões de propinas entre 2003 e 2013 do esquema de desvios que se instaurou na estatal petrolífera.

“A assessoria de imprensa do PT reitera que o partido recebe apenas doações legais e que são declaradas à Justiça Eleitoral. As novas declarações de um ex-gerente da Petrobras, divulgadas hoje, seguem a mesma linha de outras feitas em processos de ‘delação premiada’ e que têm como principal característica a tentativa de envolver o partido em acusações, mas não apresentam provas ou sequer indícios de irregularidades e, portanto, não merecem crédito. Os acusadores serão obrigados a responder na Justiça pelas mentiras proferidas contra o PT.”