PSD apoia reforma da Previdência mas não fechará questão, diz Kassab

Segundo o ex-ministro, Bolsonaro não ofereceu cargos em troca de apoio no Congresso; "seria até uma agressão", disse o presidente do PSD

Brasília — O PSD não fará parte da base do governo e manterá sua independência, sem fechar questão a favor da reforma da Previdência, apesar de apoiar a medida, disse nesta quinta-feira, 4, o presidente do partido, Gilberto Kassab, ao sair de reunião com o presidente Jair Bolsonaro.

“O partido tem uma posição muito clara com a sua independência em relação ao governo, essa posição continuará”, disse o ex-ministro a jornalistas após o encontro no Palácio do Planalto.

Segundo Kassab, Bolsonaro não ofereceu cargos em troca de apoio no Congresso, o que “seria até uma agressão”, afirmou.

O presidente do PSD disse ainda que as reformas, especialmente a da Previdência e a tributária, fazem parte do programa do partido, mas que também é tradição do PSD não fechar questão em nenhuma votação para não tolher as posições pessoais dos parlamentares.