PSB diz que dificilmente apoiará Renan Calheiros

“O que a sociedade espera de nós, muito além de uma necessária autocrítica, é um compromisso firme com a ética e com a continuidade", destacou o PSB em nota oficial

O PSB dificilmente apoiará a indicação do líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), à presidência do Senado diante das circunstâncias de desgaste institucional pelo qual passa o Parlamento. A líder do partido Lídice da Mata (BA) criticou o fato de o PMDB, responsável pela indicação do nome para o cargo por ter a maior bancada, não ter designado um nome até o momento e não mostrar um planejamento de trabalho para o próximo biênio.

“O que a sociedade espera de nós, muito além de uma necessária autocrítica, é um compromisso firme com a ética e com a continuidade do processo de transformação do Brasil em uma nação justa e próspera”, destacou o PSB em nota oficial. No documento, também é sugirido que os senadores devem utilizar a “oportunidade” das eleições da Mesa Diretora para encontrar a melhor maneira de recuperar a credibilidade do Senado.

Lídice da Mata ressaltou que o posição adotada pelo PSB não tem por objetivo “fulanizar” a troca da presidência. “O PMDB define o nome que quiser, mas nós podemos dizer é que, nestas circunstâncias, o partido não votará em Renan Calheiros”. Sobre “circunstâncias” ela explicou que significa todo o histórico que existe do Senado.

A líder menciona o fato de Renan Calheiros ter sido denunciado, na semana passada, ao Supremo Tribunal Federal (STF), pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel. O líder do PMDB teria apresentado notas frias para justificar seu patrimônio. No entendimento de Lídice da Mata o fato coloca em risco a independência do Senado caso o peemedebista seja eleito.