Protesto contra Petrobras causa lentidão na Rio-Santos

A manifestação exigia o pagamento de cerca de R$ 60 milhões em IPTU devidos ao município de São Sebastião pela estatal

São Sebastião – Funcionários e fornecedores da prefeitura de São Sebastião, no litoral norte paulista, realizaram na manhã desta quarta-feira, 22, uma ato em frente a entrada da Transpetro/Petrobras, na rodovia Rio-Santos.

A manifestação exigia o pagamento de cerca de R$ 60 milhões em IPTU devidos ao município pela estatal e resultou num congestionamento de cerca de 20 quilômetros na Rio-Santos, entre as cidades de São Sebastião e Caraguatatuba.

A distância, normalmente percorrida em 30 minutos, demorava três horas para ser vencida.

Os manifestantes bloquearam a entrada da Transpetro/Petrobras com microonibus e caminhões coletores de lixo, pertencentes a empresas que prestam serviços à prefeitura, desde as 6h30 da manhã.

Passageiros de ônibus de viagens desceram dos veículos e percorreram um trecho da Rio-Santos a pé carregando malas.

Repúdio

Em nota, a Transpetro/Petrobras, que se instalou na cidade década de 60 e ocupa 60% do território central de São Sebastião, informou que “repudia com veemência a tentativa do prefeito de São Sebastião de paralisar o Terminal Almirante Barroso (Tebar), com base na alegação infundada de não recolhimento de IPTU”.

A empresa também diz repudiar a utilização de veículos “a serviço da prefeitura que estão sendo utilizados para bloquear as entradas do terminal e tumultuar o trânsito e a vida da cidade”.

Segundo a nota, o valor do IPTU pleiteado pela prefeitura para o exercício de 2014, de R$ 54,6 milhões, corresponde a um aumento de 984% em relação ao valor pago em 2009, que foi de R$ 5 milhões.

Ainda segundo a nota, a Petrobras, a quem cabe o recolhimento de IPTU, pempresa afi, “apesar de um aumento de 89% no período”.