Professores municipais do Rio decidem manter greve

Uma nova assembleia está marcada para a próxima terça-feira (22)

Rio de Janeiro – Os professores da rede municipal decidiram manter a greve após a assembleia hoje (15), no Club Municipal, na Tijuca, zona norte. Uma nova assembleia está marcada para a próxima terça-feira (22).

Antes da assembleia de hoje, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) se reuniu com representantes da Polícia Militar (PM) para discutir o policiamento durante a manifestação de hoje.

A categoria seguiu em passeata até a Candelária, onde se juntou aos professores do estado e da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) e demais manifestantes que participam da passeata unificada em defesa da educação.

Antes, os professores fizeram um ato nas escadarias da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Os docentes do município estão há mais de dois meses em greve e reivindicam melhorias do plano de cargos e salários.

De acordo com a coordenadora-geral do Sepe, Ivanete Conceição, “a pauta permanece a mesma e o sindicato segue aguardando a negociação com o prefeito Eduardo Paes”.

Conforme Ivanete, na reunião com a PM, foi discutida a atuação da polícia nas manifestações.

“Nós nos reunimos na sexta-feira com o comando da PM, mas hoje tivemos uma nova reunião que foi convocada pelo promotor de justiça da Auditoria Militar, Paulo Roberto, quando nós discutimos os casos, as denúncias e a atuação da polícia nas manifestações. Ficou decidido que a polícia vai seguir acompanhando o ato de hoje que irá reunir os professores municipais, estaduais e os professores da Faetec, que também estão em greve”, explicou Ivanete Conceição.

A Polícia Militar ainda não se manifestou sobre a reunião com o Sepe.