Presidente do Banco do Brasil faz acordo com a CVM

Ação é para escapar de um processo administrativo sancionador por violar o período de silêncio durante a oferta pública de ações da BB Seguridade, em 2013

Rio de Janeiro – O presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, fechou um acordo com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para escapar de um processo administrativo sancionador por violar o período de silêncio durante a oferta pública de ações da BB Seguridade, em 2013. O executivo vai pagar R$ 200 mil para evitar um julgamento.

Em setembro Bendine propôs ao órgão regulador do mercado de capitais o pagamento de R$ 100 mil, mas o colegiado da CVM recomendou a renegociação desse valor. A autarquia dobrou a proposta, que foi aceita pelo presidente do BB.

O Banco do Brasil atuou como acionista vendedor de ações na oferta de distribuição secundária de ações da companhia, em abril do ano passado. O IPO (oferta pública inicial de ações, na sigla em inglês) da BB Seguridade movimentou R$ 11,48 bilhões e foi o maior do mundo em 2013.

As declarações de Bendine sobre a oferta foram publicadas no dia 30 de abril, dia seguinte ao IPO. O anúncio de encerramento da oferta, entretanto, só saiu em 15 de maio.

“A BB Seguridade é uma empresa que já nasce grande – com valor de mercado de R$ 34 bilhões, que é quase a metade do valor de mercado do BB. (…) Não estamos fazendo essa operação por necessidade de capital, só vai reforçar os indicadores do BB e dar mais liquidez. Não é demagogia, mas eu pessoalmente tinha certeza do sucesso da operação”, disse o executivo, na ocasião, além de comentar a estreia das ações na Bovespa.