Presidente da CUT nega atrelamento partidário da central

Presidente Wagner Freitas negou que a central, que completa 30 anos, seja governista ou ligada a partidos

São Paulo – No dia em que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) completa 30 anos, o presidente da entidade, Wagner Freitas, negou que a central seja governista ou ligada a partidos. “A CUT não tem atrelamento partidário”, comentou.

“A CUT não é governo nem contra o governo. Ela é a favor de um projeto bom para os trabalhadores”, garantiu.

Apesar do discurso, Freitas assumiu que a central era a favor da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff, ambos do PT. “Não apoiamos o Lula ou a Dilma. Apoiamos o projeto”, reforçou.

O sindicalista criticou a política de coalizão adotada pelo governo federal. De acordo com ele, o principal partido da coalizão, o PMDB, representa a “ala conservadora” do Congresso. “O governo é de coalizão e, em prol da governabilidade, muitas vezes nossos projetos não são executados”, avaliou. “A base aliada do governo não é proletária. A maioria é de representantes do empresariado”, disse.