Prefeitura espera 5 milhões de pessoas para carnaval do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro espera 5 milhões de pessoas durante o carnaval de rua, entre elas 977 mil turistas

Rio de Janeiro – A Prefeitura do Rio de Janeiro divulgou hoje (23) o esquema operacional para auxliar na organização de 456 blocos e 600 desfiles nas ruas da cidade do Rio.

São esperadas 5 milhões de pessoas durante a semana de carnaval, entre elas 977 mil turistas, que, segundo cálculo da prefeitura, gerarão para a cidade renda aproximada de US$ 782 milhões. 

Também foi anunciada  a mudança no desfile de alguns blocos, que tiveram de ser transferidos de local em razão de obras no centro do Rio.

É o caso do tradicional Cordão do Bola Preta, que arrasta centenas de milhares de pessoas e que  desfilaria na Avenida Rio Branco, atualmente com duas faixas bloqueadas por causa das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Por isso, o Bola Preta desfilará pela Avenida Presidente Antônio Carlos, paralela à Rio Branco.

A mudança na passagem dos blocos gerou aumento do efetivo empregado para ordenação urbana. De acordo com o secretário municipal de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Melo, as alterações na circulação dos foliões exigem maior cuidado.

“É uma experiência nova o Monobloco, Bloco da Preta e Cordão do Bola Preta saindo da Avenida Presidente Antônio Carlos. Por ser uma operação nova, precisamos de preparação com efetivo maior, com mais dedicação, envolvimento maior de todos, inclusive dos blocos e dos participantes”, explicou.

A operação montada pela prefeitura envolve a Secretaria Municipal de Transportes, Companhia de Engenharia de Tráfego, Secretaria de Ordem Pública, RioLuz e Guarda Municipal, que distribuirá pulseirinhas de identificação para crianças. Além disso, o esquema de carnaval conta com mil garis da Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb).

De acordo com a Comlurb, 235 equipes da companhia e do Programa Lixo Zero multarão o folião que jogar lixo na rua. Hoje, a multa é R$ 170, mas um projeto de lei, em tramitação na Câmara Municipal, pretende triplicar o valor para quem urinar em via pública.    

A Secretaria de Saúde montou um esquema especial para atender os foliões. Sete postos de pronto-atendimento serão montados nas regiões com maior concentração de blocos. Equipados com unidades de Terapia Intensiva, os postos abrirão no início da concentração dos blocos.

Eles serão instalados no centro do Rio, Copacabana e Leblon. O primeiro terá capacidade para 269 atendimentos e 17 remoções. Copacabana e Leblon terão, respectivamente, 118 e 243 atendimentos e três e cinco remoções.