Prefeito do Rio acha que jornada católica pode reunir mais público que Copa

Prefeito Eduardo Paes acha que a Jornada Mundial da Juventude pode reunir mais pessoas no Rio de Janeiro do que o evento esportivo no outro ano

Madri – O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse neste domingo que a Jornada Mundial da Juventude de 2013, que será realizada na capital fluminense, “vai ser tão impactante que pode reunir mais gente que a Copa do Mundo”, que será realizada um ano depois.

Paes fez essas declarações após assistir, junto ao governador do Rio, Sérgio Cabral, à eucaristia que encerrou neste domingo a 26ª JMJ, em Madri, na qual o papa Bento XVI anunciou que os cariocas serão os próximos anfitriões desse encontro mundial de jovens católicos.

“É um evento de dimensões muito maiores do que se pode imaginar. A multidão que vi hoje na celebração da missa e que tomou as ruas de Madri me emociona e me faz pensar nas proporções que um encontro como esse terá em nossa cidade”, assinalou o prefeito.

Para ele, levando em conta o tamanho do Brasil e da “fé de nosso povo” e de outros países latino-americanos, tudo faz pensar que a JMJ receberá mais público que a Copa do Mundo.

O governador Sérgio Cabral se disse emocionado com a escolha do Rio como sede da JMJ de 2013. “Já estamos na contagem regressiva para receber este evento, que é imenso, antes de tudo, em esperança, espiritualidade e na motivação de nossos jovens e de todo o povo do Rio de Janeiro”.

Tanto o prefeito quanto o governador destacaram que a cidade se organizará para receber “de braços abertos” os visitantes. Paes indicou que os preparativos que o Rio já fez para os dois grandes eventos esportivos que acolherá nesta década – Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 – “vai contribuir para o sucesso da JMJ de 2013”.

Cabral, por sua vez, ressaltou que o Rio reúne “todas as condições para receber e acomodar bem os cerca de 4 milhões de peregrinos que esperamos”.

“Temos, e ainda teremos mais em 2013, uma ampla capacidade hoteleira, sem contar a hospedagem solidária em igrejas e escolas, por exemplo, como ocorreu em Madri”, declarou o governador.

O anúncio de que o Rio será a próxima sede da JMJ foi feito pelo papa Bento XVI ao término da missa que reuniu cerca de 2 milhões de peregrinos – segundo os organizadores e o Vaticano. Em seguida, os jovens da Espanha entregaram os do Brasil a Cruz das Jornadas Mundiais da Juventude, entregue pela primeira vez pelo então papa João Paulo II em 1984, para ser levada por todo o mundo.

Desde então, foram realizadas jornadas em Roma (1985), Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (Espanha, 1989), Czestochowa (Polônia, em 1991), Denver (Estados Unidos, em 1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma novamente (no Jubileu, 2000), Toronto (2002), Colônia (Alemanha, 2005), Sydney (Austrália, 2008) e, por fim, Madri neste ano.