PP formaliza saída de Botelho do Conselho de Ética da Câmara

Ele é um dos parlamentares investigados na Operação Lava Jato

Brasília – Sob pressão, o PP formalizou nesta quarta-feira, 11, junto ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados a substituição do deputado Lázaro Botelho (TO), um dos parlamentares investigados na Operação Lava Jato. Botelho, que também compunha a CPI da Petrobras, deixou a comissão ontem.

Um dia após ter indicado o deputado Covatti Filho (RS) para substituir Botelho na CPI, o PP decidiu hoje trocá-lo por Fernando Monteiro (PE).

Covatti é filho do ex-deputado federal Vilson Covatti, que também figura na lista que a Procuradoria Geral da República (PGR) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF). Covatti foi compensado com a suplência do Conselho de Ética.

Na CPI, o deputado Beto Rosado (RN) – que entrou na vaga do investigado Sandes Júnior (GO) ontem – hoje foi colocado na suplência. Ezequiel Fonseca (MT) ficou como titular da comissão na vaga de Covatti Filho.

Disputa

Em virtude da realização da sessão conjunta do Congresso Nacional, a reunião de instalação do Conselho de Ética foi adiada para esta quinta-feira, 12.

O bloco liderado pelo PMDB ainda tem uma vaga a ser preenchida. O Conselho é formado por 21 membros titulares e 21 suplentes.

O colegiado, onde vão tramitar as representações contra os investigados da Lava Jato por quebra de decoro parlamentar, deve passar por uma disputa acirrada pela presidência amanhã.

Aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) deve apresentar sua candidatura.

Já Marcos Rogério (PDT-RO) pode deixar a disputa. Os deputados do PSD da Bahia José Carlos Araújo e Sérgio Brito também concorrem à presidência do Conselho.