Polícia faz perícia complementar sobre assassinato de Marielle

Peritos mapearam os estabelecimentos e residências que têm câmeras para recolher mais imagens que possam ajudar nas investigações

A Polícia Civil do Rio fez hoje (16) um trabalho de perícia complementar na Rua dos Inválidos, na Lapa, centro do Rio, próximo ao sobrado onde a vereadora Marielle Franco participou de um encontro com mulheres negras, na quarta-feira (14) à noite, antes de ser assassinada.

Os peritos mapearam os estabelecimentos e residências que têm câmeras para recolher mais imagens que possam ajudar nas investigações. Depois fizeram o percurso que pode ter sido feito pelo motorista do carro que transportava a vereadora e a assessora dela até chegar à Rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, na região central do Rio, onde ocorreu o crime.

A Polícia Civil já tem imagens do momento em que Marielle saía do encontro. Elas mostram que o carro onde estava a vereadora foi seguido por outros dois automóveis. Até agora as primeiras informações sobre as investigações apontam para crime premeditado.

Disque Denúncia

O Portal dos Procurados do Disque Denúncia divulgou um cartaz com os dizeres Quem Matou? para receber informações que possam ajudar nas investigações da Polícia Civil, que tem à frente a Delegacia de Homicídios da Capital (DH). A intenção é identificar e prender os envolvidos no assassinato da vereadora e do motorista Anderson Pedro Gomes.

O cartaz é ilustrado com fotos de Marielle e de Anderson, além de telefones para contato. Quem tiver qualquer informação que possa ajudar na identificação ou localização dos assassinos, pode usar o Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099 ou também o número da Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177. Outras opções são a página do Portal dos Procurados no Facebook e o aplicativo Disque Denúncia-RJ. O portal garante o anonimato.

Crime

Na última quarta-feira, a vereadora Marielle Franco foi executada com quatro tiros na cabeça, quando ia para casa no bairro da Tijuca, zona norte do Rio, retornando de um evento ligado ao movimento negro, na Lapa. A parlamentar viajava no banco de trás do carro, quando criminosos emparelharam um veículo com o carro da vítima e dispararam nove vezes. O motorista do veículo, Anderson Gomes também morreu. Uma assessora que também estava no carro sobreviveu ao ataque.