PMs do Rio afastados por questões psiquiátricas serão reavaliados

Novas avaliações ficarão a cargo da própria Polícia Militar que deverá utilizar-se de recursos próprios para voltar a avaliar todo os afastamentos

O interventor federal na segurança do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, publicou hoje (1º) no Diário Oficial do Estado um decreto que determina a reavaliação dos policiais militares afastados por questões psiquiátricas. Segundo o decreto, “houve aumento considerável no número de afastamentos por razões de saúde afetas à área de psiquiatria de policiais militares das atividades fim da corporação”.

As reavaliações serão feitas por juntas de saúde, compostas por três oficiais médicos, sendo dois das Forças Armadas, indicados pelo Gabinete de Intervenção Federal, e um da Polícia Militar.

As novas avaliações ficarão a cargo da própria Polícia Militar que, segundo o Gabinete de Intervenção, deverá utilizar-se de recursos próprios para voltar a avaliar todo o efetivo afastado por questões psiquiátricas.

Ainda de acordo com o decreto do interventor, as juntas vão ajudar a PM, cuja Diretoria de Saúde se encontra com poucos oficiais médicos psiquiatras. Esse déficit estaria dificultando a regularização do processamento de inspeções e renovações de licenças para tratamento da saúde.