PMDB proíbe membros de assumir novos cargos no governo

Em convenção nacional, o partido decidiu que nenhum peemedebista assumirá cargos no governo federal nos próximos 30 dias. Entenda.

Por Lisandra Paraguassu BRASÍLIA – A convenção do PMDB aprovou neste sábado uma moção proibindo que qualquer peemedebista assuma novos cargos no governo, pelo menos até que o diretório nacional vote, em 30 dias, se irá romper com o PT ou não.

A moção tem endereço certo: o deputado Mauro Lopes (MG), que já estava com sua nomeação acertada para a Secretaria de Aviação Civil. Mais cedo durante a convenção, o ex-ministro Eliseu Padilha chamou-o de futuro ministro, ao anunciá-lo no palanque, atiçando a fúria dos oposicionistas, o que precipitou a votação da moção.

Padilha ainda tentou evitar a votação, lembrando que havia um acordo para adiar todas as moções para a reunião do diretório em 30 dias, mas foi vencido depois que recebeu a informação de que o vice-presidente Michel Temer confirmou um acordo com a bancada de Minas Gerais para aprová-la.

Em entrevista, o presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Moreira Franco, confirmou que Mauro Lopes não poderá assumir a SAC. O Planalto esperava a convenção para definir se mantinha ou não a nomeação do deputado, mas Mauro Lopes já era tratado pelos peemedebistas da Câmara como ministro, e já até negociava a nomeação de equipe.