PM do DF atua em marcha lenta; compare salários nos estados

Brasília vive onda de violência em meio à “operação tartaruga” da PM. Donos do segundo mais elevado contracheque do país, policiais querem maiores salários. Veja comparação

São Paulo – Para pressionar o governo a conceder aumentos salariais, a Polícia Militar do Distrito Federal – que já possui o 2º maior contracheque do Brasil – tem atuado desde outubro de forma mais lenta no atendimento a ocorrências, na chamada “operação tartaruga”, que ganhou força no último mês. No entanto, mesmo que o governo atenda ao pleito de reajuste, de 66%, não há evidências de que isso possa melhorar de alguma forma a vida da população da capital, assolada por uma onda de violência em janeiro.

É que dizem especialistas e o que mostra a comparação da taxa de assassinatos de cada estado com os vencimentos da categoria (veja tabela abaixo).

Um dos mais altos do país, o salário inicial de um soldado da polícia do DF é de R$ 4.122. Mas em vez de figurar nas últimas colocações quando se trata de violência, o Distrito Federal tem a 9ª maior taxa nacional de homicídios.

Já um coronel da mesma Polícia Militar ganha R$ 16.295, valor que é o 3º mais elevado nacionalmente (veja lista ao final). Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2013 e referem-se ao ano de 2012.

Por outro lado, o Rio Grande do Sul – onde o salário para quem começa na carreira não chega a um terço do da capital federal – está entre os 10 menos violentos do Brasil.

En contraponto, o Paraná, na mesma Região Sul, paga o maior contracheque sem conseguir resultados animadores.

Para o especialista em segurança pública e coronel reformado da PM de São Paulo, José Vicente da Silva, as pesquisas mostram que salários muito baixos podem até atrapalhar, mas aumentar o pagamento não ajuda a melhorar a produtividade da polícia.

“Nesses estados que têm salários maiores, DF e Paraná, os índices de violência são três vezes mais elevados que em SP. O problema é gestão da estrutura policial”, defende.

Sem poder fazer greve, a PM da capital almeja ainda com a operação conseguir uma reestruturação de carreira. Policiais alegam que o governador Agnelo Queiroz não cumpriu com a maior parte das promessas que fez em campanha.

Com isso, os cidadãos reclamam que não conseguem atendimento ou ele, quando vem, demora muito. Em janeiro, 73 pessoas perderam a vida no DF, sendo cinco delas em casos de latrocínio (roubos com morte). O número é 38% maior que no mesmo mês do ano passado.

Veja abaixo os salários brutos, com gratificações, de soldados da PM de todo o país. Já a tabela seguinte mostra os vencimentos para a patente de coronel.

Posição Estado Salário de SOLDADO (em R$) Taxa de homicídios dolosos (por 100 mil/habitantes) Posição do estado em assassinatos
Paraná 4.838,98 29,6 10º mais violento
Distrito Federal 4.122,05 29,7 9º mais violento
Santa Catarina 3.806,63 11,3 26º mais violento
Goiás 3.276,58 21,1 18º mais violento
Rondônia 3.109,00 25,2 14º mais violento
São Paulo 3.023,29 11,5 25º mais violento
Sergipe 2.705,78 38 6º mais violento
Ceará 2.638,61 40,6 3º mais violento
Bahia 2.637,20 38,5 5º mais violento
10º Acre 2.571,42 22,8 16º mais violento
11º Espírito Santo 2.530,74 27,5 13º mais violento
12º Maranhão 2.527,06 21,7 17º mais violento
13º Roraima 2.520,69 13,2 24º mais violento
14º Minas Gerais 2.515,41 19,8 20º mais violento
15º Amapá 2.498,07 9,9 27º mais violento
16º Pernambuco 2.461,70 34,3 7º mais violento
17º Alagoas 2.446,07 58,2 1º mais violento
18º Rio de Janeiro 2.284,93 23,5 15º mais violento
19º Pará 2.253,20 42,2 2º mais violento
20º Mato Grosso do Sul 2.200,00 14,9 23º mais violento
21º Mato Grosso 2.151,62 29,9 8º mais violento
22º Amazonas 2.128,90 28,2 12º mais violento
23º Paraíba 2.031,19 38,7 4º mais violento
24º Piauí 1.926,00 15,2 22º mais violento
25º Rio Grande do Sul 1.375,71 18,4 21º mais violento
  Rio Grande do Norte* 29,6 10º mais violento
  Tocantins* 20,9 19º mais violento

* Não repassou os dados ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública


Posição Estado Salário de CORONEL (em R$)
Paraná 21.531,36
Mato Grosso 17.596,91
Distrito Federal 16.295,23
Mato Grosso do Sul 15.698,31
Goiás 15.561,78
Rio de Janeiro 15.166,79
Santa Catarina 15.000,89
Sergipe 14.421,51
Minas Gerais 14.254,17
10º Pernambuco 13.946,81
11º Maranhão 13.609,74
12º São Paulo 13.306,70
13º Acre 13.074,00
14º Espírito Santo 12.577,92
15º Rondônia 12.369,84
16º Alagoas 11.580,79
17º Amapá 11.018,84
18º Piauí 10.719,00
19º Roraima 10.699,44
20º Paraíba 9.968,31
21º Bahia 9.873,89
22º Amazonas 9.812,01
23º Ceará 9.153,24
24º Pará 8.800,39
25º Rio Grande do Sul 7.928,15
  Rio Grande do Norte
  Tocantins