Planalto alterou perfil de Míriam Leitão, diz O Globo

Segundo o jornal, computadores ligados à rede da Presidência teriam alterado as páginas de Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipedia com o objetivo de atacá-los

São Paulo – Até perfis de jornalistas na Wikipedia teriam sido alvo de edições feitas por computadores ligados à rede do Palácio do Planalto, segundo informações do jornal O Globo de hoje.

De acordo com a reportagem, as páginas de Míriam Leitão, colunista do jornal, e Carlos Alberto Sardenberg, da CBN e Rede Globo, foram editadas por número de protocolo de internet (IP) ligado ao Planalto. As alterações, feitas em maio do ano passado, tinham o objetivo de criticar os jornalistas.

Na primeira delas, os editores que usavam a rede da Presidência relacionaram o posicionamento de Sardenberg ao fato de ele ser irmão do diretor da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), instituição que, segundo as alterações, teria “grande interesse na manutenção de juros altos no Brasil, uma medida geralmente defendida também por Carlos Alberto Sardenberg em suas colunas”, escreveram

Três dias depois, o mesmo IP voltou a atacar o jornalista. “A relação familiar denota um conflito de interesse em sua posição como colunista econômico”, adicionaram ao texto da Wikipedia. 

A página de Míriam Leitão foi manipulada nos mesmos dias. Primeiro, para classificar as análises da colunista como desastrosas; depois, para afirmar que ela teria feito “a mais corajosa e apaixonada defesa de Daniel Dantas”. 

Essas não teriam sido as primeiras vezes que computadores ligados à rede do governo editaram perfis na ferramenta. Desde 2004, o IP 200.181.15.10, ligado ao Planalto, fez 256 alterações em textos da Wikipedia. Só no governo Dilma foram quase 170 modificações. Entre elas estão edições nos perfis do Movimento Passe Livre e no de José Serra (PSDB).

Na semana passada, o jornal Folha de São Paulo relatou que o mesmo IP teria adicionado elogios ao programa Mais Médicos na página de Alexandre Padilha e excluído  um trecho que falava sobre suposto esquema de corrupção na Funasa (Fundação Nacional da Saúde) quando o ex-ministro da Saúde dirigia o órgão. 

Até a diferença de idade entre Michel Temer, vice-presidente da República, e a sua esposa teria sido apagada  por computadores do Planalto. As informações de que ela foi candidata ao Miss Paulínia e de que Temer seria ligado à maçonaria também foram excluídas. 

Ao Globo, o governo alegou que o IP citado corresponde ao endereço geral do servidor da rede sem fio do Palácio do Planalto. “Isso significa que qualquer pessoa que utilizou essa rede via internet móvel terá como endereço de saída este número geral de IP. Por isso, não é possível apontar com segurança a identidade de quem alterou os textos citados pela reportagem a partir deste número de IP em maio de 2013”, afirmou ao jornal. 

Em página da Wikipedia é possível ver todas as contribuições do IP 200.181.15.10 desde 2009 até abril deste ano.